Segue a gente no Insta

@purebreakbrasil

"Com amor, Simon" é um filme que retrata a relação homossexual como ela deveria ser tratada: como todas as outras
"Com amor, Simon" é um filme que retrata a relação homossexual como ela deveria ser tratada: como todas as outras
Aceitação e os clichês dessa idade.

Em "Com Amor, Simon", Simon Spier (Nick Robinson, de "Jurassic World") é um jovem de 17 anos como qualquer outro de sua idade, mas sofre por esconder um segredo de seus amigos e pais: ele é gay. Tudo fica mais complicado no momento que se apaixona por um de seus colegas de classe, mesmo sem saber sua real identidade.

Dirigido por Greg Berlanti, o elenco é composto por nomes conhecidos como: Katherine Langford de "13 Reasons Why", Alexandra Shipp de "X-Men: Apocalipse", Jennifer Garner, Miles Heizer, Keiynan Lonsdale, Josh Duhamel, Jorge Landeborg Jr. e Logan Miller.

"Com amor, Simon": para contar a história de Simon (Nick Robinson), os seus amigos Leah (Katherine Langford), Abby (Alexandra Shipp) e Nick (Jorge Lendeborg Jr.) são peças chave
"Com amor, Simon": para contar a história de Simon (Nick Robinson), os seus amigos Leah (Katherine Langford), Abby (Alexandra Shipp) e Nick (Jorge Lendeborg Jr.) são peças chave

Este é um filme teen como qualquer outro, cheio de clichês. A única diferença é que o protagonista em questão é gay. Esse, de fato, é o primeiro grande acerto. Diferente de outros filmes, como "Moonlight" ou "120 Batimentos por Minuto", este não quer retratar uma luta incessante contra o preconceito ou as tristes consequências geradas pelo mesmo, mas sim uma história de amor de adolescentes que poderia acontecer com qualquer pessoa independente da orientação sexual.

Todos os dramas dessa fase são retratados de forma objetiva, sem cair no dramalhão, mantendo um ritmo bem dinâmico. É comum os adolescentes guardarem segredos por diversos motivos, o de Simon levanta discussões interessantes, mesmo que pouco aprofundadas, sobre como as pessoas passam a te ver depois que você sai do armário. Mais do que isso, o longa também é assertivo ao mostrar o conflito interno do protagonista, deixando evidente a insegurança que ele tem sobre a própria condição, que o faz tomar decisões que machucam até mesmo os amigos mais queridos.

"Com amor, Simon" é uma produção adolescente como qualquer outro: marcado por conflitos de sentimento e identidade e com uma trilha sonora incrível
"Com amor, Simon" é uma produção adolescente como qualquer outro: marcado por conflitos de sentimento e identidade e com uma trilha sonora incrível

O humor afiado da história arranca boas risadas do público, mas também levanta ótimos questionamentos sobre padrões de comportamento estabelecidos em nossa sociedade, como o fato de apenas os homossexuais se assumirem.

No quesito técnico, o longa faz apenas o "feijão com arroz", destacando-se um pouco mais ao usar um filtro azul na hora de retratar os delírios amorosos criados pelo personagem principal durante sua jornada para descobrir quem é Blue, o menino da escola por quem se apaixonou. As atuações estão todas dentro do esperado, ninguém se destaca mais ou menos. Os pais de Simon, interpretados por Josh Duhamel e Jennifer Garner, aparecem pouco, mas são responsáveis por dois dos momentos mais emocionantes da trama.

Em "Com amor, Simon", a família do protagonista é responsável por momentos muito emocionantes do longa
Em "Com amor, Simon", a família do protagonista é responsável por momentos muito emocionantes do longa

A trilha sonora mescla músicas atuais com nomes clássicos, como Jackson 5 ou Whitney Houston, que se encaixam completamente na atmosfera good vibes da narrativa. Sem precisar ficar levantando bandeiras, o filme deixa uma mensagem óbvia, mas extremamente pertinente sobre o quão normal e comum é a história que está sendo contada. Esta pertence a Simon, mas poderia muito bem ser de qualquer um.

A estreia será no dia 05 de abril em todos os cinemas do Brasil.

Assista ao trailer:

Principais
notícias
sobre
o mesmo tema