Segue a gente no Insta

@purebreakbrasil

A Black Friday ainda não é exatamente um grande evento no Brasil porque a maioria ainda não acredita na veracidade dos descontos. Muitos sites fazem maquiagem de preços e mesmo com a fiscalização rigorosa do comércio eletrônico, é preciso ficar atento.

A Black Friday ainda não é exatamente um grande evento no Brasil porque muitos sites fazem maquiagem de preços. Mesmo com a fiscalização rigorosa do comércio eletrônico, é preciso ficar atento. A Black Friday começa às 0h da próxima sexta-feira (29) e termina depois de 24 horas.

Antes de aproveitar as ofertas, no entanto, é necessário saber evitar compras por impulso e aquisição de produtos desnecessários. Sabemos que os descontos são tentadores, mas não justificam você comprar algo que não vai usar. Confira nossas dicas:

1 – Compare o histórico de preços

Sabe quando você vê um produto à venda e pode jurar que ele estava custando aquele mesmo preço há um tempo atrás, antes do "desconto"? A maquiagem de preços é comum nessa época e para combatê-la existe o "Baixou Agora", aplicativo grátis criado pela StartYouUP. O software mostra o histórico das dez últimas atualizações de preços do produto pesquisado. Assim você pode ver se o desconto é verdadeiro e é praticamente impossível uma loja maquiar o preço. Ouviu, Submarino ?

2 – Evite compras nos horários de pico

Com a alta quantidade de acessos, os sistemas das lojas ficam congestionados. Para não enfrentar lentidão e queda, o jeito é evitar horários de pico. Evite comprar nas duas primeiras horas da promoção, entre 0h e 2h e por volta do almoço, entre 12h e 14h.

3 – Identifique as promoções oficiais

São 120 lojas virtuais participando da Black Friday, mas isso não impede que outras lojas aproveitem a data para oferecer seus descontos. É importante frisar, no entanto, que essas lojas são estão devidamente registradas embora suas ofertas pareçam no site oficial. A equipe do site vai fazer a filtragem e garantir que se houver discrepâncias, a oferta será barrada automaticamente.

4 – Organize suas finanças

Revise seu orçamento para evitar gastos desnecessários e dívidas fora de controle. Coloque no papel suas despesas recorrentes e, com o dinheiro que sobrar, planeje o que você pode gastar na Black Friday. Evite parcelar as compras no cartão de crédito, mas se não houver outro jeito, calcule os juros para saber se vão caber no bolso. Pense que ainda temos Natal e Ano Novo pela frente.

5 – Faça uma lista do que pretende comprar

Saba o que você vai comprar. Não é bom cair de paraquedas nas promoções. Se possível, faça uma lista com os itens que vai adquirir e compare o preço em várias lojas dias antes da data. Que tal antecipar as compras de Natal? Você pode comprar um smartphone legal por um preço bacana.

6 – Use cartão pré-pago para controlar os gastos

Se você tem o costume de errar a mão na hora da compra, pode ser uma boa usar cartão pré-pago. Com ele, você determina um limite do que pode gastar e foge das armadilhas do cartão de crédito. Se não tem um, diversos bancos e corretoras oferecem o produto e permitem carregá-lo em moeda nacional. Só fica ligado que estes cartões costumam cobrar IOF (Imposto sobre Operações Financeiras) de 0,38% sobre o total das compras.

7 – Encontrou problemas? Denuncie

O Reclame Aqui vai ter uma equipe de plantão no site e nas redes sociais para avaliar as queixas a respeito da Black Friday. A vantagem é poder ver a lista de todas as lojas participantes e o link de cada uma para fazer denúncias. O ranking das empresas mais reclamadas também será atualizado em tempo real.

Inspirada na liquidação que antecede o dia de Ação de Graças nos Estados Unidos, a versão brasileira da Black Friday 2013 estima gerar R$ 340 milhões em vendas. A previsão é de que, em 24 horas, sejam feitos 850 mil pedidos pela internet por meio das 120 lojas participantes.

Principais
notícias
sobre
o mesmo tema