Segue a gente no Insta

@purebreakbrasil

Para quem está perdido no rolê, o Presidente Jair Bolsonaro, juntamente com o Ministério da Educação, decidiram fazer um corte enorme na Educação e é claro que a decisão não ficou barata: após os atos do dia 15 de maio, esta quinta-feira (30) também será marcada por novas manifestações contra o Governo. Saiba mais!

O ato organizado no último dia 15 de maio não foi o suficiente: os cortes na área da Educação anunciados pelo Ministério da Educação (MEC), juntamente com o Presidente Jair Bolsonaro, continuam acontecendo. Com isso, estudantes, professores e trabalhadores estão convocando uma nova manifestação, desta vez, nesta quinta-feira (30). Até o momento, 150 cidades já confirmaram os protestos. Entenda o que está rolando!

No final de abril, o Ministro Abraham Weintraub anunciou que a área da Educação sofreria cortes drásticos: o MEC bloqueou uma grande parte do orçamento das 63 universidades e 38 institutos federais de ensino, com um total de R$1,7 bilhão, o que representa 24,84% dos gastos não obrigatórios (ou discricionários) e 3,43% do orçamento total das federais. O Ministério explicou que os cortes foram feitos porque a arrecadação de impostos está menos do que o planejado, mas que o dinheiro pode voltar às universidades caso ela suba. Será mesmo? Afinal, a opinião deles é que "Universidades que, em vez de procurar melhorar o desempenho acadêmico, estiverem fazendo balbúrdia, terão verbas reduzidas". Então tá...

No momento, esta é a agenda para os atos desta quinta-feira:

– Rio Branco: Praça da Revolução, Centro, a partir de 11h

– Maceió: Praça do Centenário, bairro do Farol, a partir de 13h

– Macapá: Praça da Bandeira, Centro, a partir de 15h

– Manaus: Praça da Saudade, Centro, a partir de 15h

– Salvador: Praça do Campo Grande, próximo ao Teatro Castro Alves, a partir de 10h

– Fortaleza: Praça da Gentilândia, bairro Benfica, a partir de 14h

– Brasília: Museu Nacional da República, a partir de 10h

– Vitória: Teatro da Universidade Federal do Espírito Santo, na Avenida Fernando Ferrari, a partir de 16h30

– Goiânia: Praça Universitária, Setor Leste Universitário, a partir de 15h

– São Luís: Praça Deodoro, centro, a partir de 15h

– Cuiabá: Praça Alencastro, no Centro Norte, a partir de 14h

– Campo Grande: Praça Ary Coelho, no centro, a partir de 15h

– Belo Horizonte: Praça Afonso Arinos, no centro , a partir de 17h

– Belém: Praça da República, no bairro Campina, a partir de 16h

– João Pessoa: Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), a partir de 15h

– Curitiba: Praça Santos Antrade, no centro, a partir de 18h

– Recife: Rua Aurora, em Santo Amaro, a partir de 15h

– Teresina: Praça da Liberdade, no centro, a partir de 8h

– Rio de Janeiro: Candelária, região central, a partir de 15h

– Natal: Praça Cívica, no bairro Petrópolis, a partir de 15h

– Porto Alegre: Esquina Democrática, no centro histórico, a partir de 18h

– Porto Velho: Universidade Federal de Rondônia (UNIR), no centro, a partir de 16h

– Boa Vista: Centro Cívico, a partir de 16h

– Florianópolis: Praça XV de Novembro, no centro, a partir de 15h

– São Paulo: Largo da Batata, em Pinheiros, a partir de 17h

– Aracaju: Praça General Valadão, região central, a partir de 15h

– Palmas: Universidade Federal do Tocantins (UFT), a partir de 18h

E aí, o que vocês acham dessa nova Reforma? Deixem suas opiniões aqui no Purebreak e, claro, fique de olho para mais novidades!

Principais
notícias
sobre
o mesmo tema