Segue a gente no Insta

@purebreakbrasil

Eleitores descumprem a lei e fazem registro na urna eletrônica.

O último domingo, dia 5 de outubro, foi dia de votação e milhares de eleitores foram até às urnas para escolher seus candidatos. Mas, o que poderia ser um dia tranquilo, se transformou em dor de cabeça para algumas pessoas que, mesmo após vários avisos na mídia e na internet, insistiram em tirar uma selfie na cabine de votação, ou fotografaram a urna eletrônica. A façanha rendeu até um Tumblr, o #SelfieNaUrna, mas mesmo famosos, os maníacos por selfies agora vão ter que se acertar com a lei.

Apesar de aparentemente inofensiva, a prática é ilegal e pode render até 2 anos de prisão. A ordem vem do TSE (Tribunal Superior Eleitoral). O objetivo, segundo o órgão, é garantir o sigilo do voto e impedir a divulgação de fotos que possam incentivar outras pessoas, o que configuraria uma espécie de "boca de urna virtual". A medida foi considerada necessária devido ao grande alcance das redes sociais e à possibilidade de utilização da rede para campanhas ilegais, ou confirmação do voto em troca de favores.

Ainda assim, muitas pessoas pareciam não conhecer as regras das eleições. Alguns eleitores mais desavisados não só tiraram fotos na hora de votar, como fizeram questão de postar a imagem no Instagram, Facebook ou Twitter.

Principais
notícias
sobre
o mesmo tema