Segue a gente no Insta

@purebreakbrasil

Comédia nacional, que ainda conta com Fiuk no elenco, chega nesta quinta-feira (17) aos cinemas brasileiros.

Mal-entendidos multiplicados por mil geram confusões elevadas a enésima potência. Essa é a equação da comédia "Julio Sumiu", que chega nesta quinta-feira (17) aos cinemas brasileiros. Baseado no livro de mesmo título do ex-"Casseta e Planeta" Beto Silva, o filme nacional traz uma parceria inusitada entre duas gerações: a veterana Lilia Cabral e o novato Fiuk.

Tudo começa quando Edna, personagem de Lilia, acorda no meio da noite e se desespera ao saber que seu filho caçula desapareceu misteriosamente. O garoto não dormiu em casa, não deu notícia e para completar a tragédia, um telefonema faz ela pensar o pior: Julio foi sequestrado! Na verdade, a confusão se deu, porque Silvio, vivido por Fiuk, se meteu com um traficante, que resolveu aparecer para cobrar uma dívida.

Desesperada e preocupada com a falta de ação da polícia, Edna sobe o morro para encontrar o "cara mais perigoso da cidade", Tião Demônio (Leandro Firmino, o Zé Pequeno de "Cidade de Deus"), que estaria mantendo seu filho refém. Nesse cenário, ela se envolve em uma grande confusão quando, em meio a um tiroteio, se vê obrigada a levar para casa sacolas cheias "daquele pó branco que não é açúcar, nem farinha".

Com a posse da droga, o irmão mais velho do tal Julio - que "toma" maconha com diz a mãe - tem a "brilhante" ideia de transformar o apartamento da família em uma "boca" para ganhar dinheiro e conseguir pagar o resgate do garoto. Nesse cenário, inúmeras situações engraçadas acontecem, como o momento em que a personagem de Lilia e o sério marido (Dudu Sandroni) enfiam a cara no pó ou quando um cliente vai tomar uma café na cada dela e pede uma dose do "açúcar colombiano".

Trailer Julio Sumiu

Esses são só algum dos motivos para tornar o filme uma comédia hilária, que ainda conta com a presença luxuosa de coadjuvantes tão talentosos quanto as estrelas principais. Destaque para a dobradinha de Carolina Dieckman, que libera toda sua sexualidade na pele da periguete que também é delegada auxiliar e dá em cima do titular (Stepan Nercessian), que não consegue dar no couro, nem com a ajuda técnica da famosa pílula azul.

Dessa forma, com muita piada e doses extras de situações absurdas, "Julio Sumiu" traz seu olhar para o tema das transformações sociais causadas pelas Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs), no Rio. Além de fazer críticas bem-humoradas à corrupção policial, à violência e o comportamente de muitos cariocas.

Julio Sumiu
Em "Julio Sumiu": Fiuk fala sobre seu segundo trabalho no cinema
Em "Julio Sumiu": Lilia Cabral vive situações absurdas para encontrar filho
Principais
notícias
sobre
o mesmo tema