Segue a gente no Insta

@purebreakbrasil

Cada vez mais cientistas apontam benefícios nos jogos. A última pesquisa realizada na Alemanha comprova que jogar videogame pode combater doenças como o Alzheimer.
Segundo um estudo realizado em Berlim, na Alemanha, pessoas que jogam videogames com regularidade podem ter um aumento do cérebro. O crescimento ocorre em partes do associadas a funções como navegação espacial, memória, habilidades motoras e planejamento estratégico.

Para testar a teoria, os pesquisadores reuniram 23 jovens com idade média de 24 anos para jogar "Super Mario 64" pelo menos meia hora todos os dias por dois meses. De acordo com os resultados, houve "aumentos significativos de massa cinzenta" na formação hipocampal direita, no córtex pré-frontal dorsolateral direito e no cerebelo bilateral dos individuos que jogavam em comparação aos que não jogavam. Será que isso convence o criador de Mario a voltar a fazer os jogos do bigodudo?

"Enquanto estudos anteriores mostraram diferenças na estrutura cerebral de gamers, o estudo presente pode demonstrar a ligação causal direta entre o ato de jogar videogames e o aumento volumétrico cerebral. Isso prova que regiões específicas do cérebro podem ser treinadas através de jogos", afirmou Simone Kühn, líder do projeto.

Em seu relatório final, Kühn disse ainda que o estudo reforça a crença de que jogar videogames pode ser uma forma de combater doenças que reduzem o tamanho do cérebro, como o Alzheimer.

 

Principais
notícias
sobre
o mesmo tema