Segue a gente no Insta

@purebreakbrasil

5 Fotos
Iniciar o slideshow
A norte-americana Qualcomm está desenvolvendo um robô capaz de aprender coisas mediante um sistema de "recompensas". Segundo a empresa o protótipo pode chegar aos smartphones no futuro.
A empresa Qualcomm apresentou um protótipo que simula atividade cerebral humana. O processador consegue aprender a fazer coisas novas, mesmo sem ter sido programado para isso e sem ter desempenhado nenhuma tarefa parecida antes. Trocando em miúdos, o robô da empresa pode, em tese, ser treinado por estímulo como um cachorro: ao invés de programar a máquina para ir a um local pré-definido é possível treiná-lo com recompensas.

No vídeo, o robô explora um ambiente com quadrados de várias cores. Ao passar pelo quadrado branco, o programador manda um comando para o robô, dizendo que isso é "bom". A partir daí, o robô passa a procurar os quadrados brancos do cenário e evitar as outras cores. Recentemente, foi criado um robô inteligente capaz de resolver o cubo mágico em 1 segundo.

Atualmente, muitos pesquisadores tentam replicar cérebros humanos artificalmente, mas proposta da Qualcomm é fazer isso sem precisar de máquinas enormes. O objetivo é conseguir em breve, adaptar esse tipo de mecanismo para os smartphones já que a empresa norte-americana é especializada na produção de chipsets de tecnologia CDMA e W-CDMA. A empresa é também responsável pelo cliente de e-mail Eudora e proprietária da marca Snapdragon que produz processadores para smartphones.

Principais
notícias
sobre
o mesmo tema