Segue a gente no Insta

@purebreakbrasil

Karol Conká explica trechos de algumas músicas do álbum "Ambulante"
Karol Conká explica trechos de algumas músicas do álbum "Ambulante"
Três músicas - os hits "Kaça", "Vogue do Gueto" e "Desapego" - ganharam explicações e dentre as histórias temos uma onda de empatia, empoderamento e até uns assuntos mais pesados, como depressão e suicídio. A artista explicou de onde tirou a inspiração para escrever as letras e o Purebreak conta tudo pra vocês!

Karol Conká está cada dia mais se tornando um grande ícone da música brasileira e sempre mostrou muito poder com suas letras, entrevistas e, claro, sua história de vida. E a musa bateu um papo iradíssimo com o Purebreak e aproveitou para explicar alguns trechos das músicas "Kaça", "Vogue do Gueto" e "Desapego", que estão presentes no álbum "Ambulante". Preparados?

"Me cansei de quem fala de empoderar
Pra se aproximar, pra se apropiar"

K: "A gente vive uma onda de representatividade, isso é muito legal, e nessa onda acabam vindo coisas que não precisavam vir, como pessoas equivocadas que usam esse tema, essa resistência, a favor do ego. Então quando eu digo que eu me cansei de quem fala de empoderar pra se aproximar e se apropriar, é porque eu vivi isso. As pessoas acabavam se aproximando de mim ou desse universo pra extrair flores pro próprio, pra conseguir ter likes ou ser vista como uma pessoa engajada no assunto, mas na vida real essa pessoa não é assim. Então eu realmente fiquei saturada de ver isso e a reciclagem da mesmice, então eu recuso estar em alguns lugares, com algumas pessoas, no intuito de monstrar que não é assim que funciona. Quando você está falando de empoderar, você tem que saber realmente o porque você está falando daquilo, não apenas porque é bonito ser uma mulher empoderada. Tem toda uma história mais triste por trás de toda essa força".

"Quem corre não se rasteja
As cartas estão na mesa
Quem tem coragem peleja"

K: "As cartas estão na mesa! A vida tá aí, tem que saber viver, entendeu? Quem sabe viver, vai saber viver. Quem tem coragem, vai. É nesse sentido. Não fica se rastejando ou remoendo coisas desnecessárias, então as cartas estão na mesa. Tá aí! Quem quiser saber viver, a vida tá aí. Mas têm aqueles que não sabem e fazem a escolha de andar pra trás".

"Muitos falam, ninguém ouve
Olha o peso que isso trouxe
Histórias que nunca soube
Sensação de frustração que não me coube"

K: "Foi um dia que eu percebi, eu gosto de observar as pessoas e eu gosto muito de psicologia, e eu vejo que muita gente quer falar, falar, falar, tanto que na internet está repleto de pessoas que falam, mas ninguém ouve, e isso traz uma onda muito séria de depressão e suicídio. Então por isso que eu falo: 'Olha o peso que isso trouxe'. São pessoas se matando, eu tenho fãs que me escrevem falando que vão se matar, tem fã que já se matou, não consegui falar nada pra ele, não cheguei a tempo... E aí eu acho que, se a gente parasse só um pouquinho pra ouvir o que a pessoa tem e parar de achar que o que a pessoa tá falando é mimimi, pode ser a coisa mais frescura, chatinha, a gente tem que ouvir e tentar ajudar de alguma forma, porque é muito triste quando a gente quer falar e a gente não é ouvido. Mas a mesma pessoa que quer falar também não ouve, então fica esse ninho. E olha o peso que isso tudo tá trazendo por falta de empatia".

 

Maravilhosa, né? Vamos prestar atenção nessas palavras e ver como agir com todo mundo e, claro, com a gente mesmo!

Principais
notícias
sobre
o mesmo tema