Segue a gente no Insta

@purebreakbrasil

Pisa menos, rainha! <3

Nesta semana, em entrevista para o programa australiano "60 Minutes", a cantora Lorde falou um pouco sobre o assunto que ela mais ama: o feminismo. Além de colocar em pauta o empoderamento, a neozelandesa também contou sobre a escolha de seu nome artístico e suas decisões no início de carreira.

"Se eu soubesse que teria esse nome pelo resto da minha vida eu pensaria por uns dois dias. Foi uma escolha espontânea. Eu fico orgulhosa de quando tinha 16 anos, já que se eu me desse um nome estranho, que eu odiasse agora, seria irritante. Estava meio obcecada por nobreza e aristocracia e quando cheguei ao nome 'Lorde' amei como soava e então pensei: 'seria legal se eu colocasse isso como algo feminino'", contou a dona do hit "Green Light".

Lorde conta sobre a importância do feminismo na escolha de seu nome artístico
Lorde conta sobre a importância do feminismo na escolha de seu nome artístico

Lorde, que é conhecida por dizer o que pensa e por sua postura feminista, defendeu os direitos das mulheres e encheu de orgulho todos os seus fãs. "Isso não é totalmente sobre mim. É sobre todas as mulheres que podem não ter as oportunidades e os privilégios que tenho. Trata-se de tentar lutar por melhores condições e um melhor tratamento de todas as mulheres, sejam mulheres trans ou mulheres de cor ou até mesmo mulheres em profissões que não recebem muito respeito. Isso, para mim, é sobre o que é o feminismo", concluiu a amiga de Taylor Swift.

Confira abaixo essa entrevista maravilhosa:

Lorde fala sobre o feminismo no programa australiano "60 minutes"
Principais
notícias
sobre
o mesmo tema