Segue a gente no Insta

@purebreakbrasil

Funkeira também destacou referências de outras cantoras negras brasileiras, como Elza Soares e Alcione.

Se você não aguenta mais esperar pelo novo álbum de Ludmilla, pode ficar tranquilo que ele está mais perto do que nunca. Com o lançamento previsto para o mês de agosto, a funkeira aproveitou sua participação no programa "Encontro com Fátima", na Globo, na última terça-feira (26), para contar nos bastidores algumas novidades sobre esse segundo CD, como as participações de Gusttavo Lima, Filipe Ret e do rapper internacional Jeremih. Como não ficar ansioso?

Além das colaborações, a gata vem promovendo um disco totalmente diferente do que ela já apresentou até agora. O hit "Bom", o primeiro dessa sua nova fase, mostra bem isso. Entretanto, ela afirma que o funk continua sendo a sua base. "Só 'Bom' tem essa pegada, com 'flow' mais acelerado, mas todas as músicas se comunicam pela base do funk", declarou a cantora que também se inspirou no hip-hop e no charme.

Ludmilla, que já foi alvo de racismo algumas vezes, declarou que deseja ser referência no empoderamento negro, principalmente na música. "Sinto que tenho de continuar fazendo esse papel representativo e queria que mais artistas negros surgissem e no topo das paradas", comentou a jovem, que também destacou Alcione e Elza Soares como símbolo dessa luta!

Ludmilla
Ludmilla descobre que clipe de "Verdinha" está impróprio para menores de 18 anos e se revolta
Ludmilla preparou um casamento surpresa para Brunna Gonçalves e o pedido foi fofo demais!
Por que é maneiro quando um branco canta sobre drogas, mas é crime quando um negro faz isso?
Ludmilla, Lexa e Lizzo são a prova de que você pode tentar "dar certo" mais de uma vez
ver todas as notícias de Ludmilla Ver + matérias
Principais
notícias
sobre
o mesmo tema