Segue a gente no Insta

@purebreakbrasil

Simone Biles prestou depoimento emocionante na última quarta-feira (15) ao Judiciário do Senado estadunidense. A atleta e medalhista olímpica foi ouvida pelo comitê que avalia possíveis erros do FBI na investigação do ex-médico Larry Nassar, condenado por abuso sexuais de centenas de mulheres - incluindo a ginasta Simone Biles.

Na última quarta-feira (15), a medalhista olímpica Simone Biles se emocionou durante discurso sobre abusos sexuais vividos na mão do ex-médico do time de ginástica dos Estados Unidos, Larry Nassar. A atleta afirma que chegou a desistir de competições por causa dos comportamentos criminosos do profissional. Após ser condenado a 60 anos de prisão por posse de pornografia infantil, o ex-médico foi condenado a uma pena de 40 a 175 anos de prisão em 2018, após 150 mulheres aparecerem na corte americana para prestar depoimento contra ele.

Agora, o Judiciário estadunidense está analisando a atuação do FBI durante as investigações contra o abusador - que poderia ter sido negligente, permitindo com que Nassar cometesse mais crimes. Durante seu depoimento, a medalhista olímpica Simone Biles, que participou das últimas Olimpíadas no Japão, frisou que tanto o criminoso quanto as autoridades responsáveis têm culpa por todos os abusos cometidos por Nassar por mais de duas décadas.

Simone Biles se emocionou em depoimento: "culpo Larry Nassar e também todo o sistema que permitiu e perpetuou seu abuso"
Simone Biles se emocionou em depoimento: "c ulpo Larry Nassar e também todo o sistema que permitiu e perpetuou seu abuso"

Simone Biles se emociona em depoimento

Simone Biles provou mais uma vez que é uma mulher de muita coragem. Após ser ouvida, em 2018, para ajudar na condenação do ex-médico da seleção de ginástica americana Larry Nassar, Biles prestou depoimento mais uma vez, agora com o intuito de provar falhas da investigação contra o abusador. Durante sua participação, Simone chegou a chorar.

A acusação alega que tanto o Comitê Olímpico, quanto o FBI foram negligentes e por muito tempo estavam cientes do abuso. As primeiras denuncias de abuso contra Nassar são da década de 90 e o médico permaneceu no time médico das ginastas estadunidense por mais de 18 anos.

"Eu não quero que outra jovem ginasta, atleta olímpica ou qualquer outro indivíduo passe pelo horror que eu e centenas de outras mulheres passamos com os abusos de Larry Nassar. Para deixar claro: eu culpo Larry Nassar e também culpo todo o sistema que permitiu e perpetuou seu abuso [...] Falharam conosco e nós merecemos respostas. Nassar está onde merece, mas aqueles que permitiram que os abusos acontecessem também têm que prestar contas", disse uma das maiores ginastas do mundo, Simone Biles.

Além da atleta, parceiras do esporte, como McKayla Mroney, Aly Raisman e Maggie Nichols também prestaram depoimento.

Relembre o caso de Larry Nassar

A condenação do ex-médico Larry Nassar aconteceu em 2018, em uma corte no Estado de Michigan. Cerca de 150 mulheres falaram sobre os abusos vividos na mão do profissional, em um julgamento que durou por mais de uma semana. A juíza Rosemarie Aquilina, responsável pelo caso, permitiu que todas falassem antes de pronunciar a sentença. Algumas vítimas mandaram vídeos, cartas ou enviaram depoimentos anônimos - porém diversas foram pessoalmente à corte, prestar seu depoimento.

Larry Nassar foi médico de ginastas americanas por mais de 18 anos e, ao longo de duas décadas, abusou centenas de mulheres
Larry Nassar foi médico de ginastas americanas por mais de 18 anos e, ao longo de duas décadas, abusou centenas de mulheres

Como mencionado, Nassar já cumpria pena de 60 anos por posse de pedofilia infantil e, após a condenação de, no mínimo 40 anos, a juíza afirmou que se tratava de uma prisão perpétua. De acordo com Aquilina, Larry Nassar estava ciente dos seus problemas e, mesmo assim, optou por uma carreira em que tivesse contato físico com jovens mulheres, permitindo que seus abusos acontecessem - o que caracterizaria o criminoso como um homem frio, calculista e cruel, nas palavras da juíza.

"É minha honra e privilégio sentenciar você. Você não merece estar fora de uma prisão nunca mais. Você não fez nada para controlar esses seus impulsos e por onde você andar, destruirá aqueles mais vulneráveis", afirmou Aquilina.

Principais
notícias
sobre
o mesmo tema