Segue a gente no Insta

@purebreakbrasil

"O Rei Leão" é uma das estreias mais esperadas em 2019
"O Rei Leão" é uma das estreias mais esperadas em 2019
Finalmente chegou a tão esperada estreia do live-action de "O Rei Leão"! Não existe ninguém que cresceu nos anos 90/2000 e não tenha visto essa animação histórica da Disney, lançada em 1994. A nova versão, apesar de renovar seu elenco de dubladores - e até trazer de volta uma voz do original -, respeita o passado e emociona pela nostalgia e visuais impressionantes. Saiba o que o Purebreak achou.

"O Rei Leão" surge como uma das estreias mais esperadas em 2019, junto com "Vingadores: Ultimato" e "Star Wars: Ascensão Skywalker". Obviamente o principal motivador para o hype sem dúvidas é a nostalgia da animação de 1994. Então, o live-action de 2019, além de trazer uma atualização estética, também tem desafio de agradar novos e velhos fãs da obra original. A proposta de realismo fez com que muitos amantes da franquia torcessem o nariz, mas isso foi mudando pouco a pouco com a liberação do material promocional, principalmente com os trailers com Beyoncé cantando.

Por possuir essa proposta visual completamente diferente, é praticamente injusto comparar a versão live-action com a animação, já que muitas das coisas da versão 1994 não são aplicáveis e nem combinam com essa nova proposta.

"O Rei Leão" é uma emoção legítima e orgânica gerada pela nostalgia
"O Rei Leão" é uma emoção legítima e orgânica gerada pela nostalgia

Emoção, nostalgia e respeito à animação original

"O Rei Leão" encanta logo de início com uma abertura avassaladora de "Ciclo da Vida", não apenas por pegar na nostalgia, mas também por encantar o espectador com um belíssimo visual. É impossível não se arrepiar com tamanha beleza na tela gigante! Mas não pense que isso só acontece na cena inicial, esse espetáculo visual acontece durante o filme inteiro, desde os momentos do Simba e da Nala rolando no chão até a luta contra Scar.

É impressionante o carinho e o apego aos detalhes para se manter o mais fiel possível à animação original. Não é apenas a grande maioria dos diálogos, mas também as pequenas coisas que somente os mais fanáticos são capazes de perceber, como o fato do sol nascer e iluminar primeiro o cume da Pedra do Reino. Essa nova versão de "O Rei Leão" vai cativando quem assiste pouco a pouco por causa desse respeito com o material fonte. Mesmo os animais, que não são tão expressivos quanto na animação, possuem traços únicos que os diferenciam naquele cenário, que os identificam na memória afetiva do fã. É possível reconhecer quem é Nala, Sarabi, Simba e Mufasa, por exemplo.

Você vai se emocionar não só por ver Simba, Timão e Pumba, mas por poder resgatar e reviver as boas lembranças que a animação de 1994 gerou. É uma emoção legítima e orgânica gerada pela nostalgia.

Em "O Rei Leão", Donald Glover e Beyoncé dublam as versões adultas de Simba e Nala, respectivamente
Em "O Rei Leão", Donald Glover e Beyoncé dublam as versões adultas de Simba e Nala, respectivamente

Agora, falar de "O Rei Leão" sem citar as músicas que marcaram e continuam marcando gerações é um pecado. A mágica de cada número musical é muito bem reproduzida nessa nova versão, principalmente em "O Ciclo da Vida", "Hakuna Matata" e "Essa Noite o Amor Chegou (Can You Feel the Love Tonight)". As versões de "O Que Eu Quero mais é Ser Rei (I Just Can't Wait To Be King)" e "Se Prepare (Be Prepared)", do Scar, sofrem algumas modificações para se adaptar à nova proposta. A música cantada pelos jovens Simba e Nala tem um pouco do seu visual adaptado para ser mais realista, mas ainda assim, entrega um bonito espetáculo envolvendo vários animais da savana. Já a canção protagonizada pelo vilão da história sofre mudanças mais radicais, não apenas visualmente, mas o instrumental e a letra mudam para fazer sentido com um Scar mais sombrio do que aquele que conhecemos na animação.

"O Rei Leão" encanta logo de início com uma abertura avassaladora
"O Rei Leão" encanta logo de início com uma abertura avassaladora

O equilíbrio do elenco entre o novo e o antigo

O elenco de atores está muito bem, principalmente Seth Rogen como Pumba, Billy Eichner como Timão e o lendário James Earl Jones reprisando seu papel como Mufasa com toda imponência que ele impôs em 1994. As versões de Simba (JD McCrary) e Nala (Sahad Wright Joseph) jovens se mostraram ótimas escolhas. Donald Glover acaba destoando um pouco do restante do elenco, mais no final do filme durante a batalha com Scar. Já Beyoncé acaba tendo pouco destaque por conta do papel da Nala na história. Tirando a canção "Can You Feel The Love Tonight", a personagem pouco acrescenta quando está na fase adulta.

A nova versão de "O Rei Leão" é um ótimo filme, mas não traz nada de novo e isso é algo até compreensível, afinal Rei Leão é uma franquia sagrada tanto para a Disney quanto para os fãs. Essa atualização pode encantar seja pelo seu visual estonteante ou pelo sentimento de nostalgia de rever esses personagens incríveis e tão queridos de novo. Mas uma coisa é certa: independente de qualquer fator, você vai cantar as músicas do início ao fim e a sua criança interior vai te agradecer por isso.

"O Rei Leão" já está disponível em todos os cinemas do Brasil! Assista ao trailer:

Disney
Preparamos uma lista com 12 filmes da Disney que você - provavelmente - não sabia que existiam
Fizemos uma lista de tudo o que esperamos ver em "O Diário da Princesa 3"
Racismo? Ator de "13 Reasons Why" foi reprovado no teste para o live-action de "A Pequena Sereia"
"Lizzie McGuire", "Star Wars", "Pantera Negra 2" e mais: confira tudo que rolou na D23 Expo 2019
ver todas as notícias de Disney Ver + matérias
Principais
notícias
sobre
o mesmo tema