Segue a gente no Insta

@purebreakbrasil

É, gente... Pleno século XXI, 2019, e ainda assim temos que ver coisas neste estilo... Durante a Bienal do Livro 2019, o governador do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, mandou um grupo de fiscais para o evento, no intuito de tirar os livros com "conteúdo inadequado" de circulação - dentre esses "conteúdos", o tema LGBTQI+.

Quem estudou um pouco de História na vida, sabe muito bem o quanto o tempo de ditadura foi assustador e como a maioria das pessoas tem pavor desse período voltar. Nesta época, a censura rolava solta: os políticos, especialmente o presidente da época, simplesmente proibiam os jornais e revistas de abordarem certos assuntos, da mesma forma que livros foram tirados de circulação e a música foi usada como protesto, não como diversão. Muito tempo se passou, mas o Purebreak sente muito em dizer que alguns reflexos de tudo que rolou no passado ainda estão afetando todos nós: exemplo disto é que nesta sexta-feira (6), na Bienal do Livro, grupos de fiscais foram enviados pelo governador do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, com o intuito de tirar livros com a temática LGBTQI+ dos estandes - afirmando que se tratava de "conteúdo impróprio". Sim, é isto mesmo que você está lendo.

A treta começou com o quadrinho "Vingadores, a cruzada das crianças". O motivo? Um beijo gay. Na opinião do governador - como publicado por ele mesmo, em suas redes sociais - o livro tem conteúdo impróprio para menores. Por outro lado, a Bienal não só continuou deixando os livros à disposição para compra, como afirmaram que eles dão "voz a todos os públicos". Na manhã desta sexta, todos os exemplares estavam esgotados.

Não satisfeito com a reação da direção da Bienal, Crivella decidiu mandar um novo grupo para o evento, com o intuito de tirar todos os livros considerados "impróprios" de circulação. Para alívio geral, a Seop divulgou que "não encontrou material em desacordo às normas do Estatuto da Criança e do Adolescente". O representante da Bienal, por outro lado, afirmou que vai recorrer à Justiça para "garantir o pleno funcionamento do evento e o direito de os expositores de comercializar obras literárias sobre as mais diversas temáticas - como prevê a legislação brasileira".

Comoção

É claro que o pessoal da internet ficou simplesmente indignado com a atitude do governador e vários comentários tomaram conta do Twitter, com direito a topo dos Trending Topics e tudo.

E aí, o que vocês acham disso tudo? Vamos lembrar que LGBTfobia é CRIME! Para mais novidades, fique de olho aqui no Purebreak!

Principais
notícias
sobre
o mesmo tema