Segue a gente no Insta

@purebreakbrasil

Tudo indica que o gasto de papel para impressão das provas do Enem está com seus dias contados e, sem dúvidas, a natureza agradece. Nesta quarta (3) o presidente do Inep, Alexandre Lopes, disse que até 2026 o Exame Nacional do Ensino Médio será 100% digital e essa transição já começa no ano que vem. Mas será que as escolas estão preparadas pra isso? Vem saber mais!

Se você ainda está no colégio, provavelmente tem se preparado bastante pra fazer a prova do Enem, não é? O Exame Nacional do Ensino Médio é a principal porta de entrada pro ensino superior no Brasil e este ano, teve mais de 6 milhões de inscritos em busca da sonhada vaga numa universidade. Nesta quarta-feira (03), Alexandre Lopes, o presidente do Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisa Educacionais Anísio Teixeira) trouxe uma grande novidade a respeito da avaliação em uma coletiva de imprensa: até 2026 o Enem vai ser totalmente digital e essa mudança de papel para computador já começa a ser feita no ano que vem!

Para essa fase piloto, foram escolhidas 15 capitais na qual irão participar 50 mil candidatos, ou seja, só 1% do total de participantes, e a decisão de fazer em computador será do próprio público, no ato da inscrição. Além disso, o processo de inscrição permanece igual, assim como o valor da prova.

Infográfico do G1 que explicar com o "Enem digital" será adotado
Infográfico do G1 que explicar com o "Enem digital" será adotado

Entre 2021 e 2025, a participação da prova na sua versão digital ainda será opcional, mas em 2026, não tem como fugir, será 100% digital para todos os candidatos. A mudança será feita tanto para as provas objetivas, quanto para a parte de redação. E para os espertinhos de plantão, é necessário avisar: os computadores serão programados apenas com as provas, então não será possível consultar a internet pra colar. Então, o foco nos estudos continua!

No ano que vem, o Enem terá três aplicações:

Regular: 1º e 8 de novembro de 2020

Digital: 11 e 18 de outubro de 2020

E a reaplicação para alunos que passarem por algum problema técnico ou logístico, em dezembro.

Estrutura das escolas públicas é um problema a ser enfrentado

Acabar com o uso das folhas é um passo super bacana para a preservação da natureza, mas nem tudo é tão simples assim. Apesar do valor para introduzir esse projeto-piloto em 2020 seja de R$ 20 milhões, o Inep afirmou que não pretende comprar novos computadores, mas sim usar os equipamentos que já existem nas instituições, o que é bastante preocupante!

Pode parecer difícil de acreditar, mas o acesso a computadores e a diversos tipos de tecnologia ainda não é uma realidade em todas as partes do Brasil, e mesmo em grandes metrópoles como São Paulo e Rio de Janeiro, a estrutura sucateada das escolas estaduais e municipais é muito real e devastadora.

Em um país que tem um abismo social cada vez maior, esperamos que o governo dê a devida atenção às precariedades no ensino público e sua estrutura. Estudar é um direito de todos e a entrada na universidade não pode ser mais uma barreira.

Principais
notícias
sobre
o mesmo tema