Segue a gente no Insta

@purebreakbrasil

Faça o teste do Purebreak e descubra se você tem feito muitos comentários homofóbicos
Faça o teste do Purebreak e descubra se você tem feito muitos comentários homofóbicos
Apesar da maioria das pessoas entenderem que o preconceito contra LGBTs é uma forma de opressão, isso não impede as pessoas de serem homofóbicas. No entanto, há também aquele grupo que, por ignorância, acaba comentando alguns deslizes e fazendo comentários bem problemáticos. Pensando nisso, nós do Purebreak criamos um teste para saber se você tem feito comentários adequados sobre o assunto.

A homofobia agora é crime no Brasil e, mesmo que nem todo mundo concorde com essa decisão, já há um entendimento de que agredir - verbal e fisicamente - qualquer LGBT é algo errado. No entanto, sabemos também que isso não torna o nosso país um lugar perfeito. Muito pelo contrário, né? Ainda há muito o que mudar e as pessoas têm bastante para aprender. Por exemplo, muita gente faz comentários LGBTfóbicos e não tem muita consciência disso. Aliás, essa é a diferença entre intolerância e ignorância. Caso você esteja na dúvida sobre o que anda falando em voz alta, o Purebreak preparou um teste para saber se a galera anda falando coisas muito homofóbicas.

Que tipo de pergunta a gente faz quando conhece alguém? Coisas como "qual sua série favorita?", "você trabalha com o que?" e "onde você estuda?" são muito comuns. Sexo, por exemplo, é um assunto que surge apenas quando se tem muita intimidade com outra pessoa, certo? Entretanto, é muito comum, principalmente gays, ouvirem a seguinte pergunta quando estão conversando com alguém: "você é ativo ou passivo?". Não que o Purebreak ache que o assunto é um tabu. Porém, você não sai por aí perguntando as posições favoritas das pessoas, né?

As lésbicas também passam por situações muito complicadas. Toda vez que o relacionamento entre duas mulheres entra em pauta, sempre surge alguém perguntando se elas "não sentem falta de nada", como se um homem fosse essencial para qualquer relação. Complicado, né? Pois é, não basta ser contra a homofobia, é preciso estar de olho no nosso comportamento para não reproduzir nenhum tipo de opressão.

Principais
notícias
sobre
o mesmo tema