Segue a gente no Insta

@purebreakbrasil

Movimentos feministas sobre videogames criam polêmicas
Movimentos feministas sobre videogames criam polêmicas
Os fãs de videogames soltam o verbo em relação à muitas questões que vêm incomodado a comunidade.

O movimento começou dentro da própria comunidade de fãs de videogames e sua cultura. No fim de agosto, uma série de eventos e questões foram levantadas para afirmar que "os gamers estão morrendo" em uma forma de canibalismo. Entende-se por semelhantes se atingindo ao invés de se abraçar. Com isso, surgiram questões como atitude negativa em relação às mulheres e sensacionalismo implantado pelos jornalistas. Como o Purebreak joga limpo, decidimos te contar como o escândalo que leva a hashtag #GamerGate está tão popular. Fique por dentro desses 5 fatos e dê sua opinião!

5) Ameaças de morte

A desenvolvedora de games Zoe Quinn, que criou o "Depression Quest", teve sua conta do banco hackeada e informações pessoais divulgadas. Ela e Anita Sarkeesian revelaram que vêm recebendo constantes ameaças de morte. E alegaram que isso é uma prova de que existe uma violência especial contra a mulheres no meio. Pouco depois, Milo Yiannopoulos, do site "Breit Bart", confessou que também passou a receber ameaças após publicar seu artigo sobre nepotismo e corrupção no jornalismo de videogame. Ele é um homem. Surgem rumores de que Zoe fraudou o hack de sua conta para chamar atenção.

4) Misoginia

Realmente há uma cultura que oprime a atuação do sexo femino como gamer. Mas vivemos nessa linda sociedade em que as mulheres, em geral, são oprimidas indevidamente. Por isso, não adianta por óleo só no motor. Precisamos reconsruir toda a máquina social.

O machismo é um problema não só dos games, mas mundial
O machismo é um problema não só dos games, mas mundial

3) Invalidar não é a solução

Um lado, representado por sites como Polygon e Kotaku, diz que contestar a atual cultura de games é idiota e devemos apenas escrever notícias sobre lançamentos e seguir em frente. Mas, peraí: será que todo tipo de indignação não é positiva quando levanta descontentamentos de uma maioria? Videogame já deixou de ser coisa de criança e como seres pensantes, questionar deve ser válido.

2) Pessoas tóxicas

Indivíduos com distorções de caráter e comportamentos tóxicos sempre existiram. E muitas empresas como, por exemplo, a Riot estão lutando contra isso em ações cada vez mais dramáticas contra esse tipo de gamer.

1) Corrupção na indústria e jornalismo de games

Isso é real. São as pessoas responsáveis por falar e introduzir opiniões na comunidade. Mas será que a corrupção não é um problema macro da nossa sociedade?

Resolução: ir pelo caminho do bem

Todos têm opção de evitar canais que não parecem legítimos e agir da forma certa. #GamerGate é uma semente que vai gerar os frutos das ações de cada um de nós.

Cada um fazendo sua parte e a comunidade de gamers fica feliz
Cada um fazendo sua parte e a comunidade de gamers fica feliz
Principais
notícias
sobre
o mesmo tema