Segue a gente no Insta

@purebreakbrasil

Trailer de "Hoje Eu Quero Voltar Sozinho"
Entrevista exclusiva, protagonista comenta sobre o longa e dramas adolescentes

Muito provavelmente quem for assistir "Hoje Eu Quero Voltar Sozinho", que estreia nos cinemas nesta quinta-feira (10), vai jurar que Ghilherme Lobo, ator de 18 anos que interpreta o protagonista cego no filme, é realmente deficiente visual. "Fiz aula de Braile (leitura com tato), aprendi a guiar e fazer coisa banais sem enxergar, como fazer a barba", conta o jovem em entrevista ao Purebreak sobre seu primeiro papel de destaque.

No filme de estreia de Daniel Ribeiro, Leonardo (Ghilherme) é um adolescente cego que está descobrindo, dentro outras coisas, as primeiras experiências amorosas, no estilo de "Confissões de Adolescente". Quando Gabriel (Fabio Audi) entra para a turma dele na escola desperta novos sentimentos no garoto, que se apaixona pelo novo amigo; ao mesmo tempo, o novato acidentalmente interfere na relação de Leo com sua melhor amiga, Giovana (Tess Amorim).

Baseado no curta "Eu Não Quero Voltar Sozinho" (2010), também dirigido por Ribeiro, o filme não é apenas uma versão alongada do original. A história se expandiu e os personagens amadureceram. "É interessante voltar a história, aprofundar. Novos conflitos surgiram", diz Ghilherme, que acredita estar mais confiante. "Já conhecia esse garoto, então fiquei mais seguro para viver ele de novo", acrescentou.

Hoje eu não quero voltar sozinho
Hoje eu não quero voltar sozinho

Fora essa evolução, o filme também insere novos conflitos, como por exemplo a turma que pratica bullying. Sobre essa questão, Lobo se lembra dos tempos de colégio e conta que não sofreu com esse tipo de coisa. "Sempre fui um cara muito bem resolvido, então não ligo muito pra isso. Uma vez tentaram fazer alguma piadinha, nem me lembro direito o que era, mas como não tinha a menor graça, não colou".

Depois de vencer o prêmio da crítica internacional no Festival de Berlim de 2013, a expectativa para "Hoje Eu Quero Voltar Sozinho" está cada vez maior. "Foi surreal o que aconteceu em Berlim. Fomos muito bem recebidos, os gringos adoraram, vieram dar os parabéns", completa Ghilherme, que torce para a recepção dos brasileiros ser tão boa quanto.

Assista ao curta-metragem "Eu Não Quero Voltar Sozinho", de 2010:

Curta "Eu Não Quero Voltar Sozinho"
Principais
notícias
sobre
o mesmo tema