Segue a gente no Insta

@purebreakbrasil

A Netflix lançou o documentário "Britney x Spears" nesta terça-feira (28). O projeto desenvolvido por Jenny Eliscu e a documentarista Erin Lee Carr investiga sobre a luta da artista em busca da liberade, sobre a sua tutela. O Purebreak levantou os principais pontos que todo fã da princesa do pop precisa saber antes de apertar o play. Veja!

O documentário "Britney vs. Spears" estreou nesta terça-feira (28) pela Netflix. Com uma hora e meia de duração, o projeto desenvolvido pela jornalista Jenny Eliscu e a documentarista Erin Lee Carr explora a luta da artista para escapar da tutela que é dirigida por seu pai, relembra seu divórcio com Kevin Federline e também os turbulentos encontros com paparazzi durante o momento mais instável da sua vida, lá por 2007.

É bem provável que os fãs de Britney Spears não terminem de assistir o conteúdo empolgados, já que o filme explora fases tão vulneráveis da estrela do pop. No entanto, há pontos importantes que todo mundo precisa saber antes de apertarem o play e o Purebreak te conta!

Britney não teve o poder de escolha

Em "Britney vs Spears", fica bem claro que, depois de inúmeras tentativas, a cantora só conseguiu contratar seu próprio advogado em 2021 para o processo de tutela. Anterior a isso, sua defesa era escolhida pelo juiz. Sam Ingham, seu advogado no passado, é acusado de ajudar o pai de Britney, James Spears, e de não defender os interesses da cliente.

Pessoas que queriam ajudar Britney eram afastadas

Em vários momentos do filme é possível ver que Britney Spears estava sempre sendo afastada de pessoas que, verdadeiramente, queriam ajudá-la. Jenny Eliscu, da "Rolling Stone", tentou entrar escondida em um local onde a artista estava hospedada só para facilitar a assinatura dos documentos que pediam pela mudança de advogado. Na época, esse encontro foi todo arquitetado por um ex-namorado da famosa.

Além disso, um cinegrafista da MTV foi silenciado. Ele possuía uma carta em que Spears falava sobre toda o drama que estava passando, mas logo eles perderam o contato. Felicia Culotta, ex-assistente dela, também foi afastada.

Spears foi diagnosticada com demência

Para justificar todo o início da tutela, alguns documentos declararam que Britney Spears havia sido diagnosticada com demência e que não tinha "clareza psíquica". No entanto, dois meses depois, a celebridade estava trabalhando normalmente, e isso desmitifica a história de problemas mentais.

Sam Lufti nega ter dopado e drogado Britney

O documentário também fala sobre Sam Lufti. O ex-agente de Britney é acusado de dopar e também drogar a cantora, tirando proveito dela. Inclusive, este caso está até registrado em um livro escrito pela mãe da famosa, Lynne.

Em sua justificativa, Lufti disse que apenas queria ajudar Spears e que sua imagem foi machada apenas para que os dois se afastassem. Ele também ajuda Jamie, pai de Britney, de inventar histórias ao seu respeito e espalhar inverdades pela imprensa internacional. Ainda em explicação, o ex-agente disse que tivesse explorado a loira, a denúncia teria sido levada às reais autoridades e não ao "TMZ", um dos tabloides mais conhecidos sobre a vida dos famosos.

Britney Spears
Britney Spears sugere participação em projeto de The Weeknd: "Acabei de gravar 'The Idol'"
Relação com pai e controle financeiro: como será a vida de Britney Spears após tutela
O que os fãs precisam saber antes de assistir "Britney x Spears" na Netflix
#FreeBritney: esta é a linha do tempo do movimento pela liberdade de Britney Spears
ver todas as notícias de Britney Spears Ver + matérias
Principais
notícias
sobre
o mesmo tema