Segue a gente no Insta

@purebreakbrasil

Sim, poderia ter um evento temático, com crianças plantando árvores e conscientização ambiental. Mas, não... Nestes últimos meses, a Amazônia vem sofrendo com o número de queimadas que se espalhou em sua vegetação e, consequentemente, seus animais. Neste Dia da Amazônia, só nos resta ficar tristes e preocupados com o que está por vir - e fazer a nossa parte.

"Do que a terra mais garrida / Teus risonhos, lindos campos têm mais flores / Nossos bosques têm mais vida" - não mais. Sabemos que o brasileiro não é lá muito dedicado quando o assunto é cuidar do meio ambiente, certo? Afinal, quantas vezes você foi a uma praia e viu lixo boiando na água ou até mesmo a areia toda suja? Ou quantos animais não morreram por conta do descarte impróprio de lixo? Ah, e existem as queimadas também... E a situação está fugindo cada vez mais do controle: no mês de agosto, um loooongo trecho da Amazônia foi incendiada. Sim, a maior floresta tropical DO MUNDO. Está virando cinzas. E, depois disso tudo, foi anunciado que apenas 18 meses podem salvar nossa amada Floresta, caso contrário, se as queimadas continuarem ou nenhuma providência for tomada, o dano é irreversível. E nesta quinta-feira (5), que deveria ser comemorado o Dia da Amazônia, nós só conseguimos nos preocupar mesmo... E o Desculpa o Textão vai falar sobre isso.

Tá, mas vamos por partes: para começar, por que 18 meses, assim, tão específico? A princípio, os cientistas afirmavam que tínhamos "12 anos para salvar o planeta". Só que as coisas mudaram: em 2018, o Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC) disse que, para conseguirmos manter o aumento das temperaturas globais abaixo de 1,5ºC até o final deste século, as emissões de dióxido de carbono teriam que ser reduzidas em 45% até 2030. O problema é que isto não está diminuindo, só aumentando! Portanto, a ideia é justamente controlar esta situação até o início de 2020. Não é bem o que está acontecendo, né?

Só no Pará, a Amazônia perdeu com as queimadas o equivalente a 20 milhões de campos de futebol.

Em 2017, um dos principais cientistas do clima do mundo, Hans Joachim Schellnhuber, falou sobre o assunto: "A matemática do clima é brutalmente clara: embora o mundo não possa ser curado nos próximos anos, pode ser fatalmente ferido por negligência até 2020". Pois é, e mesmo depois desse tempo, parece que continuamos vacilando, hein...

O que podemos fazer?

Nós do Purebreak garantimos que não existe nenhum bicho de sete cabeças em ajudar o meio ambiente; as medidas a serem tomadas são simples:

- Não jogue lixo na rua! As cidades estão cheias de latas de lixo e, mesmo se você não encontrar nenhuma, não vai fazer mal guardar o lixinho no bolso ou na mochila/bolsa. Isso inclui quando você vai à praia ou a um evento: RECOLHA SEU PRÓPRIO LIXO!

- Economize energia e água: não há necessidade de deixar todas as luzes da casa ligadas, né? Ou a torneira aberta enquanto estamos escovando os dentes. Converse com quem mora com você e fiquem de olho em vazamentos e, claro, vale também da conscientização de cada um, né?!

- Evite usar roupas e acessórios de origem animal: sim, sabemos que levar uma vida vegana pode ser difícil, mas não custa nada praticarmos este exercício, né? Isso vale também para produtos testados em animais, nenhum bichinho merece sofrer. Vamos tentar cortar estas coisas das nossas vidas, nós conseguimos!

- Evite o uso de plásticos

- Quando possível, evite andar de carro ou qualquer outro transporte motorizado. De vez em quando, dá para tirar a poeira da bicicleta e dar aquela exercitada, além de chegar mais rápido nos lugares e não pegar trânsito, né? E quando for perto, uma boa caminhada também não faz mal!

Todas as formas de vida na Terra, incluindo nós, agradecem! <3

Principais
notícias
sobre
o mesmo tema