Segue a gente no Insta

@purebreakbrasil

As Olimpíadas de Tóquio mal começaram e já tem debate super importante rolando. O time feminino de handebol de praia noruegês foi multado por desrespeitar as regras de vestimenta. No caso, as mulheres preferiram usar shorts em vez de biquínis. Isso abriu espaço para uma discussão essencial sobre a sexualização das mulheres no esporte.

A abertura das Olimpíadas de Tóquio aconteceu nesta sexta-feira (23) e, apesar de ser um evento sobre esporte e coletividade, alguns jogos - que aconteceram antes da abertura oficial - viraram pauta de debate sobre a sexualização dos corpos femininos. Na última terça-feira (20), o time feminino de handebol de praia da Noruega foi multado por se recusar a usar biquíni durante a competição. Em vez disso, as jogadores utilizaram shorts curtos, que em nada comprometem seu desempenho.

A multa foi estipulada pela Federação Europeia de Handebol (EHF) que afirma que as atletas desrespeitaram o código de vestimenta. No total, o time teve que pagar 1,5 mil euros. É claro que isso levantou questionamentos: por que os times femininos usam roupas tão curtas e cavadas, enquanto os atletas masculinos podem contar com vestimentas folgadas, sem expor seu corpo?

Sexualização das mulheres vira pauta nas redes

Muitas pessoas foram às redes protestar sobre as diferenças de regras entre homens e mulheres nas Olimpíadas. Não há nada que justifique a necessidade das mulheres usarem biquínis em jogos ou mostrarem mais pele do que os homens. As próprias atletas da Noruega afirmaram que utilizar shorts um pouco maiores não altera seu desempenho, então por que essas roupas foram escolhidas para o time feminino?

Uma hipótese é que seria uma forma realmente de mostrar mais o corpo, numa tentativa de sexualizar os corpos das atletas e atrair atenção para a competição. Não seria a primeira vez que isso acontece. Em 2011, a Federação Internacional de Badminton determinou que, para as Olimpíadas de 2012 em Londres, as jogadoras deveriam usar apenas saias e vestidos. A justificativa: "ficarem com a aparência mais feminina e melhorar a apresentação da modalidade".

Em pleno 2021, as federações esportivas ainda acham que mostrar o corpo das atletas é uma maneira de atrair o olhar do público para esportes femininos. Atitude extremamente machista e misógina que cada vez mais vêm sendo criticada nos dias de hoje.

Atletas de ginástica olímpica também sofrem com sexualização nos Jogos Olímpicos e em competições
Atletas de ginástica olímpica também sofrem com sexualização nos Jogos Olímpicos e em competições

Atletas de ginástica olímpica também são sexualizadas

Outro esporte que também atrai atenção quando o assunto é hiperssexualização das mulheres é a ginástica olímpica. As roupas costumam ser muito justas, mostrando bem a silhueta, tanto para o grupo masculino, quanto feminino. Mas os homens conseguem usar calças, expondo apenas os braços, enquanto as mulheres usam collant, mostrando toda a perna e parte das nádegas.

A publicitária Manu Canielas falou sobre o tema em seu TikTok. De acordo com a profissional, duas ginastas alemãs optaram por usar calças nas Olimpíadas de Tóquio. Apesar disso ser autorizado pelo regulamento, a maioria das atletas que optam por calças fazem isso por motivos religiosos. Mas as ginastas da Alemanha fizeram como forma de protestar contra a sexualização das mulheres.

Confira o vídeo no TikTok:

Esse debate entre as ginastas se torna mais importante quando a gente lembra que muitas atletas iniciam-se nas Olimpíadas ou em competições bem novas, ainda menores de idade. Discussão essencial e que não pode mais ser adiada.

Principais
notícias
sobre
o mesmo tema