Segue a gente no Insta

@purebreakbrasil

O Purebreak conversou com a atriz Paula Braun e ela falou sobre o fim de sua personagem, Rebeca, em "Amor à Vida", das cenas de ação e ainda afirma que apoia o beijo gay de Félix e Niko (Thiago Fragoso).

A novela "Amor à Vida" está em sua reta final e a atriz Paula Braun, que interpreta a médica Rebeca do Hospital San Magno, revela que depois da trama da Globo, quer relaxar. Além disso, a estrela vai aproveitar ao máximo o seu marido, o ator Mateus Solano, que deu um show de atuação no papel de Félix.

"O bom é que tiraremos as férias juntos depois de mais de um ano de trabalho" afirma a artista em entrevista ao Purebreak, e ainda completa às gargalhadas: "Não tem como as datas não baterem", entrega.

Atriz comenta sobre as cenas de ação de "Amor à Vida"

No capítulo desta semana, Paula teve que viver toda a adrenalina de uma cena de ação. Isso porque a personagem Rebeca é sequestrada e ameaçada de morte por Aline (Vanessa Giácomo) e Ninho (Juliano Cazarré). "As cenas foram ótimas! Foi tudo ensaiado, dos tapas aos embates mais violentos. Os dois são ótimos atores e pessoas incríveis, não tem como não ser bom", elogia a atriz.

Paula quer que sua personagem tenha um final feliz ao lado de Pérsio

Na trama, Rebeca vive um romance proibido com Pérsio (Mouhamed Harfouch), já que a mocinha vem de uma família judia e seu amado segue as tradições muçulmanas. Sobre o fim de sua personagem, Paula é otimista: "Espero que ela e o Pérsio se entendam e torço para que tenham sido um bom exemplo para falar das diferenças religiosas. Na verdade, a mensagem é: qualquer diferença é muito menor que o amor e que a vontade de estar e viver juntos", explica a estrela.

"Não só apoio como torço. Beijo é beijo, não importa o sexo", afirma a estrela sobre o beijo gay

Seguindo esse pensamento, a atriz que ver, sim, o beijo entre Félix e Niko, vulgo Carneirinho (Thiago Fragoso). "Não só apoio como torço muito para que aconteça. Torço para que a teledramaturgia imite a vida (ou o contrário se for necessário) e que tenhamos beijos em todos os lugares, ruas, cinema, restaurantes, sem olhares atravessados e violência. Beijo é beijo, não importa o sexo ou a condição sexual, é um ato de amor, de vontade", diz.

(Escrito por: José Corso)

Principais
notícias
sobre
o mesmo tema