Segue a gente no Insta

@purebreakbrasil

Tá certo que os asiáticos fazem um monte de coisas meio malucas como máquinas que em vez de refrigerantes vendem cuecas e robôs que celebram casamentos, mas é inegável que os olhinhos puxados tem muitos gadgets legais que seriam sucesso aqui.
Os asiáticos fazem diversos produtos meio malucos como máquinas que ao em vez de refrigerantes vendem cuecas e robôs que celebram casamentos. Além disso, existem robôs que montam cubo mágico e até um que joga "joquempô". Por outro lado, seria legal ter uma máquina que te indicasse um refrigerante que você pode gostar ou um robô que cuidasse da casa na sua ausência. Vamos conhecer alguns gadgets legais que só existem do outro lado do mundo?

Máquinas de vendas que fazem sugestões

Para quem já se perguntou o que pedir diante de uma maquininha de refrigerante, existe uma no Japão que ajuda nesse tipo de problema. O "Acure Beverage Dispenser" escaneia seu rosto para determinar sua idade e sexo e sugere qual das bebidas você pode gostar. Além de estudar você, o dispenser também leva o clima e a hora do dia para fazer a sugestão. Demais né?

Robôs caseiros operados por telefone

Automatizar tudo na sua casa ou no seu apartamento parece ser algo meio caro, mas no Japão, que tem robô para aparentemente tudo, existe o Mirai Sanzo. Esse robô se conecta aos aparelhos em rede e permite que eles sejam controlados pelo smartphone. Quer garantir que seu lar esteja geladinho antes de chegar do trabalho. É só mandar um comando que o Mirai Sanzo liga o ar pra você. O dispositivo pode ser colocado em telefones, computadores e servidores. Você pode enviar comandos para o ar condicionado, aquecedor, interfone, alarmes, travas elétricas e até encher a banheira. Infelizmente só existe no Japão, então você vai ter que encher sua banheira por você mesmo.

Privadas High Tech

Isso vai parecer mentira, mas as privadas high tech te limpam, tiram sua pressão e até tocam música. Para nós pobres mortais de privadas de plástico isso é surreal, mas na China e no Japão são itens indispensáveis. Os modelos básicos oferecem um sistema de bidê que te lava e um ar quente que te ajuda a se secar depois disso. Os assentos são aquecidos para que você nunca precise tocar porcelana fria. Além disso, essas privadas tem luz ambiente no caso de você precisar usar o banheiro escuro no meio da noite. Existem até modelos que ionizam o ar em torno da privada para prevenir o mau cheiro. Uma dessas privadas, a Neorest, leva dois dias para aprender os hábitos do dono e ajustar o ar quente a a água. Ela aprende quando desligar o ar quente e qual temperatura o usuário prefere além de possuir sensores que indicam quando as luzes precisam ser desligadas, or quando o cliente terminou e a descarga pode ser dada.

Carros Kei

Originalmente feitos para serem pequenos devido a falta de recursos depois da Segunda Guerra, os carros Kei (de kei-jidosha, que significa veículo leve) se tornaram comuns em cidades japonesas. O tamanho pequeno e a eficiencia fazem deles ideais para os moradores urbanos. Para ser um carro Kei, o veículo deve ser menor que 4 metros, 1,37 metro de largura, e dois metros de altura. Surgem mais de 50 modelos de carros Kei anualmente e eles podem ser identificados por ter a placa amarela. Comparado aos carros normais, os Kei quase não bebem gasolina. O modelo mais popular, Mazda Autozam faz 80 km por tanque.

Mercado virtual

Depois de um dia de trabalho, a última coisa que queremos é ter que enfrentar fila de mercado. Pensando nisso, a Tesco, uma das cadeias de supermercados mais populares da Coreia encontrou uma solução. A empresa criou uma loja completamente virtual nas estações de metrô de Seul. As prateleiras são idênticas as das lojas. Dentro da estação, o cliente pode escanear o produto desejado com o smartphone e colocar no carrinho de compras virtual. Suas compras são então entregues na sua porta imediatamente. O serviço deu tão certo que nos primeiros três meses a loja online já tinha 10.280 visitas e o numero de cadastrados subiu 76%.

Capacete Home Theater

A Toshiba pode ter resolvido a falta de visão em 360 graus na hora de jogar videogame e ver TV. Não que as pessoas considerem isso um problema real. O fato é que a empresa desenvolveu um capacete de rosto inteiro que pesa uns 3 quilos e permite visão em 360 graus de uma tela fish-eye de 16 centímetros. Usando essa bolha gigante fica difícil de aproveitar qualquer outra tarefa enquanto assiste TV, mas pelo menos você tem a melhor visão. Se morar no Japão, claro.

Principais
notícias
sobre
o mesmo tema