Segue a gente no Insta

@purebreakbrasil

Fiquei uma semana sem usar o Instagram, o que será que aconteceu?
Fiquei uma semana sem usar o Instagram, o que será que aconteceu?
Você consegue imaginar sua vida sem entrar no Instagram? Até 2010 todo mundo vivia numa boa sem a rede social. No entanto, ela se tornou muito popular e é difícil achar pessoas que não tenham uma conta no aplicativo. Bom, eu fiquei uma semana sem usar o popular Insta e essas são as minhas considerações.

Eu trabalho oito horas por dia sentado na frente de um computador, conectado a todas as redes sociais possíveis e checando vários sites de notícias, nacionais e internacionais. Ou seja, tô o tempo inteiro lendo alguma fofoca sobre a Bruna Marquezine, vendo os Stories dos amigos e rindo de memes no Twitter. Pois é, é a semana inteira assim. O vício é tanto, que, quando eu finalmente consigo chegar em casa, ainda vou dormir tarde porque fico horas rolando o feed do Instagram. Será que eu sou viciado?

De verdade, não acho que sou do tipo que não vive sem celular. Num bar, por exemplo, eu consigo ficar um bom tempo sem olhar pro telefone, mas meus amigos vão dizer que é mentira. Mesmo assim, assumo que adoro estar conectado a tudo isso. Mas uma hora cansa, né? Muita informação, muita gente pedindo biscoito e dando opinião sobre absolutamente qualquer coisinha. Às vezes não dá vontade de se mudar para uma cidade pequena e trabalhar com algo que envolva tudo, menos internet? Bom, eu tenho esse desejo.

Pensando nisso, eu decidi ficar uma semana sem usar o Instagram. Sete dias sem postar nada, sem fazer Stories ou saber o que as outras pessoas estão fazendo. Ou seja, o terror de qualquer blogueira. Quer saber o resultado dessa aventura? Então, só continuar lendo o próximo parágrafo. E sim, eu estou me sentindo o próprio Alex Supertramp.

Fear of Missing Out

Antes de tudo, acho que é importante falar sobre esse termo que foi citado pela primeira vez no final dos anos 90, pelo estrategista de marketing Dan Herman, e que ganhou uma definição no início dos anos 2000 pelos pesquisadores Andrew Przybylski e Patrick McGinnis. Mas a gente não tá aqui pra falar de história, né? Vamos ao que interessa.

Fear of Missing Out, ou FoMo, para os mais íntimos, significa o "medo de estar perdendo algo". É mais ou menos parecida com aquela sensação que a gente sempre tem quando deixa de ir em algum rolê. Sabe aquele medo de não saber quem pegou quem ou de não entender uma piada internet? É isso. Só que na internet o buraco é um pouco mais embaixo. Por conta das redes sociais, as pessoas querem saber TUDO o que está acontecendo. Por isso que a gente vai dormir 2h da manhã, entendeu?

Mas o que acontece quando a gente fica horas e horas no Instagram, especificamente? Uma pesquisa realizada pela instituição de saúde pública do Reino Unido, a Royal Society for Public Health, em parceria com o Movimento de Saúde Jovem, mostrou que as redes sociais são mais viciantes que álcool e cigarro. Além disso, o Instagram foi avaliado como o que mais prejudica a mente do jovem. Foram entrevistados 1.479 indivíduos, entre 14 e 24 anos, e eles tiveram que ranquear Youtube, Instagram, Twitter e Snapchat. O objetivo era dizer quais dessas redes desencadeavam sentimento de comunidade, bem-estar ansiedade, solidão e etc.

O estudo mostrou que o Instagram atrapalha o sono, prejudica a autoimagem e aumenta o medo dos jovens de ficar por fora do que está rolando. Sim, o tal do FoMo. Além disso, também foi revelado que nove em cada 10 meninas se sente mal em relação ao seu próprio corpo e constroem desejos de mudar a aparência através de procedimentos cirúrgicos. Realmente, fica complicado ter qualquer resquício de autoestima quando somos bombardeados com fotos "perfeitas", de pessoas que estão dentro do que é considerado padrão de beleza e são felizes, aparentemente, o tempo inteiro. Se antes já era fácil se comparar com outro, nas redes sociais esse processo ficou mais forte e fácil.

Bom, já deu pra entender como o Instagram pode acabar com a nossa mente, né? Então, como será que foi ficar sete dias sem usar o aplicativo?

1 - Vontade de continuar conectado

De fato, os dos primeiros dias foram os mais angustiantes. Sabe quando falta pouco pra sair do trabalho e você quer dar uma enroladinha básica? Então, eu fazia isso mexendo no Instagram. Ou seja, tive que trabalhar mesmo. Na sexta-feira (23) eu ainda reencontrei o grupo de amigos da minha infância e não pude fazer um Stories. A foto da galera? Postei no Twitter mesmo.

2 - Nada de arrependimentos!

Sábado (24) eu fiquei o dia I-N-T-E-I-R-O em casa! Um saco, né? Isso já tinha rolado no final de semana anterior e, depois de ver uns Stories, eu fiquei muito arrependido de não ter ido assistir a um show no centro do Rio com a minha amiga. Mas, com a ausência do Instagram, esse sentimento não veio. Afinal, eu não sabia o que as pessoas estavam fazendo.

3 - Saudade dos amigos

No entanto, ao longo dos dias, eu comecei a sentir falta de alguns amigos. Mal ou bem, tem uma galera com quem a gente não conversa muito, né? É mais aquela coisa de ver o que a pessoa está fazendo. Então, durante esses sete dias, eu não tive nenhum tipo de "contato" com essas pessoas. Estranho?

4 - O desapego!

O Facebook eu usou mais quando estou no computador e chega uma hora em que não tem mais o que ver no Twitter. Você já riu do mesmo meme umas três vezes e continua descendo o feed. O que aconteceu? Eu meio que deixei o celular pra lá. No domingo (25) eu encontrei outro grupo de amigos e nós tiramos uma foto que eu certamente teria postado no Instagram. Mas não rolou e dessa vez nem vontade de compartilhar no Twitter eu tive.

5 - Esquecimento

Apesar de ter sentido falta dos amigos, eu simplesmente esqueci da existência da ~galera da internet~. Youtubers, criadores de conteúdo e gente que eu só sigo porque acho engraçado/bonito, esqueci de todos. Atualmente eu sigo 991 perfis no Instagram e agora me pergunto: quem é essa gente? Será que saber da vida de todas essas pessoas é essencial para mim?

6 - Aproveitei mais os meus dias?

Assim que decidi ficar uma semana sem Instagram, já estava imaginando que ia conseguir ler três livros em cinco dias. Afinal, com o tempo que eu gastava nas rede social... Porém, isso não aconteceu. Acho que eu teria que ficar um mês sem nenhum contato com a internet para isso acontecer. Culpa da rede social ou minha?

7 - E a minha autoestima?

A verdade é que eu não parei muito pra pensar sobre isso ao longo da semana. Eu realmente não me senti pra baixo durante esses dias, mas também não fiquei me achando sensacional. Acho que a falta do Instagram, na verdade, não me fez pensar muito sobre a minha imagem.

8 - Fiquei animado para voltar

Quando eu comecei essa ~experiência~ achei que chegaria no final da semana me sentindo menos apegado ao Instagram e na verdade rolou o contrário. Eu estava ansioso (???) pra voltar! Além de estar louco para postar aquelas duas fotos, eu realmente quero estar em contato com as pessoas que estão lá e saber sobre o que elas estão falando e pensando.

Mesmo assim, é importante ressaltar que o Instagram, assim como toda a internet, pode ser mesmo muito tóxico. O lado bom é que nós podemos criar a nossa rede, nosso próprio feed. Por que ir atrás daquilo que pode te fazer mal ou ser alguma espécie de gatilho? Por exemplo, o mundo inteiro já diz que eu preciso emagrecer, eu preciso mesmo seguir perfil sobre dieta, de personal trainer ou qualquer coisa que vá fazer com que eu me sinta mal? O Instagram pode ser problemático, mas é possível construí-lo de uma maneira que fique mais agradável pra você. Use as ferramentas ao seu favor e empodere-se!

Principais
notícias
sobre
o mesmo tema