Segue a gente no Insta

@purebreakbrasil

Pabllo Vittar reuniu o forró e tecnobrega dos anos 2000 no CD "Batidão Tropical". Sem deixar a essência pop, a drag queen traz músicas autorais e covers de antigos sucessos, como "Zap Zum", "Apaixonada", "Não é Papel de Homem" e "Ultra Som", que tem referência do K-pop e drum and bass. Veja mais detalhes que a cantora deu sobre o lançamento de sua nova produção ao Purebreak!

Pabllo Vittar lançou o álbum completo de "Batidão Tropical" na noite desta quinta-feira (24). Para seu novo CD, a drag queen apostou na mistura de ritmos que esbanjam brasilidade e outras referências internacionais, como o K-pop e a música eletrônica. Em coletiva que o Purebreak esteve presente, a cantora que deu mais detalhes sobre a produção do disco solo que tem cover e faixas originais. Acompanhe!

Pabllo Vittar acredita que "Batidão Tropical" possui muitas camadas e, por isso, o público fora do Brasil será rapidamente conquistado. "Os fãs latinos e os da América do Norte vão amar pela batida contagiante. Eu tenho experiência de cantar lá fora em português e a recepção é muito calorosa. Estou ansiosa para levar nosso tesouro para lá", diz a cantora nesta sexta-feira (25).

"Você sofre dançando muito", diz Pabllo sobre álbum

Pabllo regravou alguns sucessos do forró, o tecnobrega dos anos 2000 e colocou toda a sua personalidade no álbum. Além de "Zap Zum", "Apaixonada", "Não é Papel de Homem" e outros hits do passado, ela trouxe mais três hits inéditos: "Ama Sofre Chora", "Triste com T" e "A Lua".

Para essas, ela revela suas inspirações. "Calcinha Preta, Limão com Mel e Banda Magníficos, que exaltam essa sensualidade e sofrência. Você sofre dançando muito", brinca.

Faixa "Ultra Som" tem referência K-pop e Drum and Bass

Além de toda essa regionalidade do Norte de Nordeste, sem deixar a essência do Pop, Pabllo Vittar também buscou o diferencial para a faixa "Ultra Som" trazendo um pouco do eletrônico e K-pop, gênero musical originado na Coreia do Sul. BTS, Blackpink, Twice, Red Velvet e Exo são alguns dos nomes mais conhecidos.

"A referência para a sonoridade é o tecnobrega muito forte, mas trouxe minhas influências do K-pop e Drum and Bass. Eu amo muito aquilo e achei que fosse a junção perfeita pra isso", explica.

Ideia inicial de "Batidão Tropical" era live show

Apesar de declarar a paixão pelo álbum completo, "A Lua" é a queridinha de Pabllo. Sua aposta para esse projeto é que novas leituras do forró se abram.

"Desde o início do meu trabalho tem algumas releituras do Norte e Nordeste. Quero ganhem espaço porque eles abriram as portas pra mim e eu estou abrindo uma janela. Foi muito difícil e gostoso ao mesmo tempo voltar ao passado. A gente que é gay e do interior sabe da infância 'babado' e essas músicas me ajudaram a passar por isso", afirma, contando que "Batidão Tropical" era, a princípio, uma ideia de live show:

"Eu ia gravar pra mim pra tentar fazer nos shows, nos repertórios das lives e pensei em por em um projeto. Fomos atrás das autorizações e, do fundo do meu coração, agradeço cada banda que deixou eu regravar porque faz parte da minha vida. Estou muito honrada", vibra Vittar.

Assista trecho do clipe "Triste com T":

Pabllo Vittar
Pabllo Vittar repercute fala polêmica de Maurício Souza e aponta homofobia: "Crime"
Adivinhe qual é a música da Pabllo e diremos se você vai passar mal hoje
Pabllo Vittar revela reação de Lady Gaga e fala mais sobre criação de "Fun Tonight"
Pabllo Vittar promete volume II de "Batidão Tropical": "Regravações e mais músicas autorais"
ver todas as notícias de Pabllo Vittar Ver + matérias
Principais
notícias
sobre
o mesmo tema