Segue a gente no Insta

@purebreakbrasil

Você sentiu que engordou durante a quarentena? Saiba que está tudo bem
Você sentiu que engordou durante a quarentena? Saiba que está tudo bem
Em um mundo ideal, esse tipo de afirmação não precisaria ser dita. Afinal, engordar ou ser gordo está longe de ser problema. Porém, como vivemos em uma sociedade gordofóbica, esse tipo de coisa se torna um verdadeiro pesadelo. E na quarentena, será que isso continuar sendo um temor? O Purebreak resolveu falar sobre isso com as produtoras de conteúdo Mariana Rodrigues e Raquel Brandão.

Já não é mais novidade pra ninguém que nós vivemos em uma sociedade gordofóbica, né? Mesmo que esse assunto já tenha evoluído bastante e hoje em dia já seja possível ver várias pessoas com orgulho dos seus próprios corpos, a situação está longe de ser ideal. Afinal, ainda são os mesmos padrões que seguem sendo endeusados. Mas, parece que o medo de engordar voltou a ser uma assombração na vida das pessoas por conta da isolamento social. Ficar dentro de casa, sem poder sair para se exercitar e, provavelmente, comendo mais do que o normal, se tornou um verdadeiro pesadelo para algumas coisas. Mas, para desmistificar esse assunto, o Purebreak teve uma conversa com as jornalistas Raquel Brandão e Mariana Rodrigues.

Mariana está falando sobre gordofobia há bastante tempo na internet. Através do seu blog, que surgiu em 2015, e também das redes sociais, a blogueira busca empoderar mulheres gordas com o conteúdo que produz. Para a jornalista, o medo de engordar não "voltou". Na verdade, ele sempre esteve presente. "O fator continua o mesmo: gordofobia. As pessoas são gordofóbicas, por isso o pavor de ser gorda, principalmente se elas costumavam reproduzir o discurso de que uma pessoa só é gorda porque ela quer. Só agora estão descobrindo que isso é mentira", declarou.

Se jogarmos "engordar" e "quarentena" na mesma busca, é possível achar inúmeras matérias com dicas do que se fazer para evitar que esse tipo de coisa aconteça. Para Rodrigues, esse não devia ser o tipo de preocupação no momento. "As pessoas estão morrendo - do vírus e de fome. O fato de estarmos trancados em casa (e muitas vezes ainda assim expostos ao vírus) está minando a saúde mental de mais um monte de gente. Nesse momento, a única preocupação deveria ser em nos mantermos saudáveis - e sabemos que saúde vai muito além de um corpo magro", argumentou.

Para Raquel Brandão, que usa as redes sociais para falar sobre body positive, também não é muito compreensível que a maior preocupação das pessoas, durante uma pandemia, seja engordar. Apesar de entender que esse seja um preconceito bastante enraizado, a influenciadora acredita as próprias pessoa precisam refletir mais sobre a questão. "É completamente normal nosso corpo passar por transformações, seja engordar ou emagrecer. Acontece. Pode ser o momento pra elas colocaram a cabeça pra funcionar e ter consciência de que tá tudo bem engordar ou emagrecer na quarentena. É só o seu corpo respondendo ao que você tá sentindo, né?", disse.

Mesmo assim, o Purebreak sabe que não é de um dia para o outro que esses tipos de questões se resolvem, na nossa cabeça, né? Para ajudar na resolução desses conflitos, Raquel deixa um recado: "Eu não gosto de ficar dando conselho pra ninguém, porque a forma como a gente lida com os nossos sentimentos é muito pessoal, né? Eu não tenho uma fórmula mágica para falar: 'olha, você tem que se amar, você tem que aceitar essa mudança no seu corpo de forma tranquila'. Não, até porque isso não acontece comigo. Acho que é mais você trabalhar o seu autoconhecimento e entender que o nosso corpo é fluido. Amanhã ele pode está diferente de hoje e isso vai acontecer conforme a gente for envelhecendo. Acho que o negócio é trabalhar o autoconhecimento e entender que passar por uma transformação corporal, principalmente nesse período tão difícil, não precisa ser a sua maior preocupação. É claro que uma mudança corporal exige um novo entendimento, você compreender aquela nova forma do seu corpo. Mas nada como o tempo, o autoconhecimento e o entendimento de como funciona a sociedade pra aprender que não tem nada de errado com a gente e que tá tudo bem o nosso corpo mudar", finalizou.

Principais
notícias
sobre
o mesmo tema