Segue a gente no Insta

@purebreakbrasil

Afinal, se você nunca tentou cumprir o desafio do "Deslizo e Jogo", você não viveu 2019 corretamente... MC Rebecca foi um dos grandes ícones de 2019 e muitos são os motivos para agradecermos diariamente pela existência dessa maravilhosa - e isso vai muito além das músicas. Uma rainha mesmo, né? Vem ver!

É "Combatchy", "De Férias com o Ex Brasil" e até desafios... a MC Rebecca fez com que 2019 fosse o ano dela! Afinal, vocês perceberam que tudo que ela tocou virou ouro? Nós estamos aqui só agradecendo pela existência dessa vida e, como são muitos os motivos, decidimos separar sete pra vocês. Vamos aos agradecimentos?

1- "Deslizo e Jogo"

Gente, temos um ícone da dança entre nós e podemos provar: a cada hit que sai, Rebecca divulga um "passinho impossível" e lança um desafio para seus fãs. Afinal, quem nunca viu um vídeo de alguém dançar como a funkeira em "Deslizo e Jogo"? Ou agora, tentando reproduzir o espacate de "Repara"? Rainha dos desafios!

2- 1ª mulher negra no topo do Spotify Brasil

Como se já não fosse motivo de orgulho, Rebecca se tornou em 2019 a primeira mulher negra a pegar o Top 1 no Spotify Brasil. O feito foi realizado com a música "Combatchy", parceria com Anitta, Lexa e Luisa Sonza. Mas tem um problema nessa situação: a cantora sofreu ataques racistas depois da realização. Mas, mesmo assim, a funkeira não abaixou a cabeça e deu um tapa na cara em quem a diminuiu. "Hoje em dia a gente sofre racismo camuflado, preconceito o tempo inteiro, então as pessoas que estão indo comentar nas minhas coisas pra falar 'ah, o problema tá no preto, pelo fato de falas que sofre racismo'. Cara, o problema não tá no negro, o problema tá no branco. Eu nunca imaginei que chegaria aqui. Eu tive muita ajuda, ninguém faz nada sozinho. Mas vocês têm que entender que ainda têm muitas pessoas pra chegar aqui. Então vocês não vêm querer ficar botando as coisas no meu Instragram, porque isso não vai me atingir e eu não vou mudar quem eu sou por causa de vocês", disse nas redes sociais. A gente só sabe aplaudir essa mulher, Brasil!

3- Hits e mais hits!

Gente, óbvio que não poderíamos encerrar essa lista sem citar aqui os grandes lançamentos da MC Rebecca, né? Afinal, estamos sempre agradecendo por toda a representatividade e por sempre estar no meio de situações icônicas, mas também ficamos felizes com os hits para balançar a raba em grande estilo e sensualizar bastante. Que em 2020 tenhamos muitos outros funks empoderados e momentos incríveis com a funkeira!

4- Participação no "De Férias com o Ex Brasil: Celebs"

Ah gente, não poderíamos falar de MC Rebecca sem suas participações icônicas em programas de televisão. Em "De Férias com o Ex", da MTV, por exemplo: a funkeira só ficou alguns dias na casa, deu em cima de uma galera, ficou com Nakagima (sim, o programa rendeu namoro pros dois!) e foi uma das grandes sensações do programa. Imagina se ela tivesse ficado até o final, gente?!

MC Rebecca sabe muito bem onde é o lugar dela: onde ela quiser! A cantora sempre apresentou uma liberdade absurda de linda em suas letras e não abaixa a cabeça para comentários machistas. "Eu levo bem porque sou corajosa mesmo, mas não é moleza. Cresci vendo muitos homens cantando funk e proibidão. Depois apareceram Deize (Tigrona), Tati (Quebra Barraco) e a Valesca (Popozuda), divas maravilhosas. Sempre gostei do proibidão e foi por meio dessas músicas que saquei o poder da mulher. Eu via o preconceito e queria entender por que tanta rejeição quando a gente interpretava. Quem fala de sexo e escuta é porque gosta - e qual o problema nisso? Lembro que tive o impulso de me expressar como uma mulher que ama e deseja igual a qualquer homem. Foi natural e nada planejado", contou ao jornal O Globo.

"Preta, rebolando e falando sobre sexo: não preciso dizer o que acham, né? Mas comigo é diferente. Tenho orgulho de cantar 'Cai de Boca', porque quem está no comando da cena sou eu. Caso contrário, sem a minha permissão, não tem vez. Posso rebolar ou cantar sobre sexo, mas no meu corpo quem manda sou eu. Eu. Para me tocar, tem que ter a minha autorização", finaliza. Só uma coisa a dizer: PER-FEI-TA!

5- Sabe comemorar o próprio sucesso

Ela sabe que o ano foi dela e prova disso é que MC Rebecca fez uma festança DAQUELAS para comemorar o primeiro ano de carreira, com direito a fio dental, música dança e até sensualizada com o namorado, Flavio Nakagima. Maravilhosa é ela!

6- Fala abertamente sobre sua sexualidade

Só pelos itens acima, já sabemos que MC Rebecca tá 100% nem aí pro que os outros pensam, né? E, infelizmente, a homofobia segue em crescente no país - especialmente com pessoas bissexuais, que, afinal, têm que ouvir que 'estão confusos' ou que 'querem chamar atenção'. A cantora, em contrapartida, sempre falou da sua sexualidade e se assumiu bi desde o início da carreira. "Sou bissexual assumida, e aliás, eu revezo sempre né", disse, aos risos, durante a divulgação do clipe de "Revezamento", com Rick Joe e Gabily. Maravilhosa!

7- Engajada

MC Rebecca sabe muito bem onde é o lugar dela: onde ela quiser! A cantora sempre apresentou uma liberdade absurda de linda em suas letras e não abaixa a cabeça para comentários machistas. "Eu levo bem porque sou corajosa mesmo, mas não é moleza. Cresci vendo muitos homens cantando funk e proibidão. Depois apareceram Deize (Tigrona), Tati (Quebra Barraco) e a Valesca (Popozuda), divas maravilhosas. Sempre gostei do proibidão e foi por meio dessas músicas que saquei o poder da mulher. Eu via o preconceito e queria entender por que tanta rejeição quando a gente interpretava. Quem fala de sexo e escuta é porque gosta - e qual o problema nisso? Lembro que tive o impulso de me expressar como uma mulher que ama e deseja igual a qualquer homem. Foi natural e nada planejado", contou ao jornal O Globo.

"Preta, rebolando e falando sobre sexo: não preciso dizer o que acham, né? Mas comigo é diferente. Tenho orgulho de cantar 'Cai de Boca', porque quem está no comando da cena sou eu. Caso contrário, sem a minha permissão, não tem vez. Posso rebolar ou cantar sobre sexo, mas no meu corpo quem manda sou eu. Eu. Para me tocar, tem que ter a minha autorização", finaliza. Só uma coisa a dizer: PER-FEI-TA!

Principais
notícias
sobre
o mesmo tema