Segue a gente no Insta

@purebreakbrasil

Por que o "racismo reverso" não existe?
Por que o "racismo reverso" não existe?
Você provavelmente já deve ter ouvido falar em "racismo reverso", sob a justificava de que brancos também sofrem racismo. Mas não é bem assim que funciona. Para entender por que o racismo reverso é um mito, é necessário saber primeiro a diferença que há entre racismo e preconceito e olhar para o abismo social e histórico que ainda separa pessoas de pele branca e de pele negra. Vamos lá?!

O discurso do "Racismo reverso" volta e meia surge no feed de noticias do Facebook, na timeline do Twitter ou no vídeo de algum youtuber por aí. Mas o que pessoas brancas chamam de Racismo contra elas, em outras palavras, nada mais é que um preconceito sem raízes históricas e sociais. Quando a pele branca é alvo de comentários pejorativos, não significa que aquela pessoa está sendo vítima de Racismo. A questão não é relativizar esses tipos de ofensas destinados, vez ou outra, a alguém branco. Mas sim entender por que esse Racismo "às avessas", do negro para o branco, não existe.

Afinal, o que é Racismo?

O preconceito a algo ou alguém pode se manifestar de diversas formas. O Racismo é uma delas. No entanto, é importante esclarecermos suas origens. Pode-se considerar que o Racismo parte do pressuposto de que pessoas essencialmente de pele negra são inferiores às outras. Isso é histórico e foi o ponto de partida para a escravidão de povos negros em várias sociedades.

Imagina ser tratado como inferior e subordinado ao outro pelo fato de ser negro? Pois essa é a base do Racismo.

Image result for dear white people gifs

Vamos aos números?

Séculos depois, os negros ainda sofrem com esse tipo de pensamento. Uma pesquisa de 2017 do Atlas da Violência mostrou que, no Brasil, a taxa de assassinatos de negros é duas vezes maior que a de brancos. As mulheres negras também estão mais suscetíveis à violência doméstica: 58,68%, de acordo com a Central de Atendimento à Mulher, em 2015.

Pesquisa mostra as diferenças nas taxas de homicídios entre brancos e negros
Pesquisa mostra as diferenças nas taxas de homicídios entre brancos e negros

Como se não bastasse, no mercado de trabalho a questão racial ainda é um fator incisivo. De acordo com a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua, em 2017, 67% dos negros recebiam 1,5 salário mínimo, enquanto entre os brancos, o percentual era de 45%.

Esse é o tipo de dado que dialoga bastante com o acesso à educação no país, claro. Pra se ter uma ideia, em 2017, o IBGE mostrou que as taxas de analfabetismo entre negros e pardos é praticamente o dobro em relação às pessoas brancas.

O que podemos concluir?

Diante de todos esses números dá pra perceber por que o racismo contra pessoas brancas não existe. O racismo é estrutural e afeta diretamente à realidade de pessoas negras. E tudo isso vem de lá de trás, onde criou-se a ideia de que a pele negra por si só era o bastante para inferiorizar alguém.

Algo a se pensar, né?!

Image result for beyoncé winking gifs

Principais
notícias
sobre
o mesmo tema