Segue a gente no Insta

@purebreakbrasil

O feminismo é um movimento organizado, mas seus ideais estão em nosso dia a dia porque todo ato é político. Na semana do Dia Internacional das Mulheres, o Purebreak quer te apresentar uma lista de séries que provam isso! Essas produções não apresentam o tema como central, mas as situações normais de uma história contada já dizem muito sobre como as mulheres praticam e são afetadas pelo feminismo em suas vidas. Confira as dicas!

Viver é um ato político e, por isso, o feminismo não precisa ser destacado para fazer parte da rotina de uma mulher. A cada dia, mais pessoas passam a entender que essa luta é mais normal do que parece e talvez você já até seja uma feminista mas não saiba. Vemos isso em filmes e séries. A história pode não estar focada na luta feminista, mas as mulheres têm que enfrentar situações de violência, comentários machistas que passam despercebidos e, claro, aprender a lidar com suas questões para se tornarem mais fortes.

E a intenção é pensar dessa mesma forma para esta semana marcada pelo Dia Internacional da Mulher. Ninguém quer apenas as rosas, as lindas homenagens e textões. É uma data política e a luta acontece todos os dias, desde os atos menores até os grandes feitos.

DRAW THE LINE - Feminist logo ©luna picoli-truffaut - Logo...

Para conhecer melhor a história do movimento de mulheres, você pode ver a lista de filmes sobre a luta feminista que o Purebreak também preparou. Mas, desta vez, decidimos trazer as séries feministas que não foram feitas com o intuito principal de explicar ou mostrar o tema. Elas lembram que a luta é diária e que todas as mulheres contribuem um pouco para a conquista de direitos do grupo!

1. "O Gambito da Rainha"

O Gambito da Rainha e 4 fatos importantes. - Comunidade do Estágio

Estrelado por Anya Taylor-Joy, que se tornou a queridinha do cinema de suspense e depois da indústria audiovisual, a série conta a historia de Beth, uma menina que começa a jogar xadrez aos nove anos.

A garota, sempre curiosa e destemida, se revela logo como um prodígio. No entanto, o meio é dominado por homens e a trama se passa nos anos 60, nos Estados Unidos, quando tudo era pior ainda.

Sendo muitas vezes a única presença feminina nas competições, a personagem pode até não se importar muito com a questão feminista, mas sua história revela como é ser uma mulher no meio e inspira outras meninas a buscarem suas vitórias. Você pode assistir a série pela Netflix!

2. "Fleabag"

phoebe waller-bridge fleabag smile maybe – foolish watcher

Imagine uma combinação perfeita entre comédia e drama. Sim, é possível! "Fleabag" fala sobre as inseguranças e tristezas de uma mulher que tem vários parceiros, mas não se apega a nenhum.

A personagem interpretada por Phoebe Waller-Bridge trabalha em um café que abriu junto com uma amiga, uma relação que ainda lhe traz más lembranças, e também enfrenta problemas com a família.

A série é cheia de quebras da quarta parede - a atriz olha diretamente para a câmera e se conecta com o público - e mostra o amadurecimento de uma mulher que quer ser livre e se encontrar no mundo. Não seriam esses dois dos objetivos do feminismo?

Disponível na Amazon Prime Video, são duas temporadas de seis episódios cada.

3. "Normal People"

Normal People. Depois de obter 16 milhões de... | by Kim | Medium

Também teremos romance, é claro! Em "Normal People", Marianne (Daisy Edgar-Jones) e Connell (Paul Mescal) são dois jovens que estudam na mesma escola, na Irlanda, e se apaixonam.

A menina é de classe média alta, mas tem uma família bem complicada. O rapaz é um dos garotos populares da escola, porém não tem as melhores condições financeiras. O amor dos dois começa em segredo e atravessa a vida adulta.

Mais uma vez, temos uma história de amadurecimento entre encontros e desencontros. Baseada no livro de Sally Rooney, a série pode ser assistida pela Amazon Prime Video.

4. "Bridgerton"

Bridgerton' tem data para 2ª temporada que deve destacar romances de  primogênito da família real | Hypeness – Inovação e criatividade para todos.

A história romântica desta vez é de época. Ambientada na Inglaterra do século XIX, a série conta a relação de Daphne (Phoebe Dynevor), filha mais velha da família Bridgerton, e o Duque de Hastings, Simon Basset (Regé-Jean Page).

Logo de cara, a irmã da protagonista já apresenta umas ideias bem feministas para a época: ela quer estudar e não liga tanto para casamento, que é uma questão central para as mulheres na trama. Daphne também passa por diversos momentos que demonstram o feminismo na vida das mulheres. Ela precisa redescobrir seu corpo, criar mais autonomia e se unir a outras mulheres fortes.

A série é uma adaptação do livro de Julia Quinn e foi produzida pela aclamada Shonda Rhimes. É uma produção da Netflix.

5. "Grey's Anatomy"

SÉRIE: Como escrever

Embora os focos da série sejam a medicina e a corrida vida de cirurgiões em um amplo e renomado hospital, "Grey's Anatomy" passa por vários temas que debatem o feminismo durante as mais de 15 temporadas produzidas até hoje.

Casos de assédio são denunciados pela trama, escolhas de mulheres são diminuídas, lutas de mães que criam seus filhos sozinhas, apoio feminino em meio aos problemas clássicos desse grupo, a história de mulheres negras... Enfim! Não falta situação para provar que a luta está aí todos os dias.

A série tem Shonda Rhimes como roteirista e pode ser acessada pela Netflix! Ah, ela é uma ótima dica para quem quer uma produção para maratonar.

6. "Anne With An E"

Série: Anne with an 'e' – Procurei em Sonhos

Anne (Amybeth McNulty) é uma garota muito inteligente por ter o hábito da leitura. Após anos passando por confusões com a assistência social, a orfã é enviada por engano para morar com um casal de irmãos já em idade avançada.

A menina, com sua leveza e imaginação, transforma a realidade do seu novo lar e da cidade onde passou a morar. Além do feminismo, a série ainda fala de outros temas importantíssimos, como o bullying, o preconceito e a formação de identidade.

Baseada no livro "Anne of Green Gables", escrito por Lucy Maud Montgomery, a trama pode ser vista pela Netflix. Você vai se encantar com essa história, pode ter certeza!

7. "Sex Education"

Sex Education: The importance of Aimee's Story

A série original Netflix veio para remodelar o perfil de produções sobre a adolescência. Otis (Asa Butterfield) é um jovem inseguro que enfrenta problemas com sua sexualidade. Sua mãe é uma terapeuta sexual e Otis passa a exercer esse papel em sua escola, mesmo ainda sendo virgem.

Os dramas e desafios da adolescência mostram como as meninas dessa idade precisam enfrentar o assédio, as exposições virtuais criminosas e a própria descoberta de sua vida sexual levando em conta o prazer feminino.

Uma das cenas que mais demonstram o feminismo na série é marcada pela sororidade entre as estudantes da escola. Elas se mostram personagens feministas e maduras em determinados momentos, enquanto não deixam de passar pelas confusões da juventude. Todo mundo que assistiu se emocionou!

Principais
notícias
sobre
o mesmo tema