Segue a gente no Insta

@purebreakbrasil

Você é daqueles que ama reparar em quem está narrando sua série favorita? Nós, do Purebreak, separamos uma lista com as melhores e mais emblemáticas narrações. Afinal, eles deixam a trama ainda melhor de acompanhar. Nós temos como provar: o que seria de "Gossip Girl" sem a voz de Kristen Bell? E de "Jane the Virgin" sem o hilário narrador?

Todo viciado em série tem suas particularidades, não é mesmo? Entre tantos motivos, um deles pode ser o narrador da trama. Isso mesmo! Tem gente que repara muito em quem está contando a história. Alguns fazem parte dela, tipo em "The Handmaid's Tale", mas em outras séries, o narrador é até um personagem que só é revelado bem no final, como em "Jane the Virgin".

Muitos seriados fazem uso desse recurso, que é bem interessante, vamos combinar, né? É só pensar em "Gossip Girl": o que seria da trama sem os comentários ácidos da garota do blog? Então, se você ama os narradores e/ou as narradoras, essa listinha é para você!

"Jane the Virgin"

Um dos melhores personagens era com certeza o narrador! O mais legal é que sua identidade, um dos maiores mistérios de "Jane the Virgin", foi revelada no final da série. E nós do Purebreak quase acertamos! Era o Mateo (Elias Janssen), filho de Jane (Gina Rodriguez) e Rafael (Justin Baldoni)!

"Gossip Girl"

"XoXo, Gossip Girl!". Quem não amava quando a narradora, Kristen Bell, arrasava contando todos os babados da elite de Nova York? A emblemática voz da atriz deixou a série ainda mais incrível, fala sério!

No último episódio da trama, inclusive, Kristen faz até uma aparição rápida quando a identidade da garota do blog é revelada. Será que no reboot de "Gossip Girl" a ela voltará? Esperamos que sim!!

"Grey's Anatomy"

Meredith Grey (Ellen Pompeo) não é só a protagonista de "Grey's Anatomy", como também a principal narradora da série. Em todo início dos episódios da trama, a personagem vai contando uma história, que sempre se complementa no final. O texto é sempre bem profundo e faz todo mundo refletir. Afinal, tem coisa mais dramática do que esse seriado?

Em alguns episódios, a voz da narração muda e outros atores passam a falar no lugar de Meredith. Praticamente todo o elenco já narrou "Grey's Anatomy". Afinal, o carrossel não pode parar de girar, né?

"La Casa de Papel"

Todo início dos episódios da série, que teve sua 4ª temporada confirmadíssima, a personagem Tóquio (Úrsula Corberó) vai narrando, de forma única, os próximos passos dos ladrões mais famosos da televisão.

Ninguém sabe ao certo por que é só ela que vai contando a história, já que a série tem muitos personagens. Mas os fãs, obviamente, já criaram uma teoria para isso. A hipótese é de que Tóquio seja a única sobrevivente do grupo. OMG! Com isso, ela estaria narrando tudo de DENTRO DA PRISÃO. Meu deus, será??

"Cara Gente Branca"

Giancarlo Esposito, famoso pela incrível participação em "Breaking Bad", empresta sua bela voz para a série. Nesta nova 3ª temporada, o ator faz sua aparição na trama, desvendando os mistérios da Ordem X para Sam (Logan Browning) e Lionel (DeRon Horton). "Matem o narrador. A única voz que precisa ouvir é a da sua consciência", diz.

O cara acompanha 100% o tom crítico e até irônico da história em diversos momentos. Olha como o primeiro episódio da primeira temporada começa: "Olá, os roteiristas deste programa dependem da minha voz étnica, mas não ameaçadora para explicar as coisas que a preguiça não deixa mostrar de forma tradicional".

"The Handmaid's Tale"

"O Conto da Aia", série baseada no livro de 1985, narra um futuro distópico, onde as mulheres não possuem nenhum tipo de direito e são tratadas apenas como utensílio. Toda a trama é narrada do ponto de vista de June (Elisabeth Moss), que vai contando toda a rotina cruel em que foi inserida. Os textos, assim como todo o roteiro, são bem fortes e fazem a gente refletir bastante (e sofrer muito de diversas formas).

Um dos trechos mais famosos é quando June conta como as coisas foram mudando na sociedade: "Eu estava dormindo antes. É assim que deixamos acontecer. Quando derrubaram o Congresso, não acordamos. Quando eles culparam terroristas e suspenderam a Constituição, nós também não acordamos. Agora estou acordada", diz logo no primeiro trailer da série. Incrível, né?

"Euphoria"

Uma das grandes novidades deste ano foi a estreia da série "Euphoria", da HBO. Cheia de polêmica! Na trama, quem narra tudo é a jovem Rue (Zendaya), que tem de 17 anos e é viciada em álcool e drogas - após vivenciar uma overdose. A atriz já tinha avisado que o conteúdo dos episódios é bem pesado e que eles não deveriam ser assistidos por menores de 18 anos, já que as cenas poderiam causar desconforto e ansiedade. A história envolve temas como drogas, sexo, identidade, traumas, redes sociais, amor e problemas familiares. Então, a narração segue essa mesma linha também.

Rue compartilha seus pensamentos e ideias. Logo no trailer que lançou "Euphoria", vemos a jovem em um desses momentos. "Estamos em busca de algo para que tudo isso tenha sentido. Se eu pudesse ser outra pessoa, eu seria", diz. Bem profundo, né?

"Todo Mundo Odeia o Chris"

Quem nunca decorou as frases, em português, de "Todo Mundo Odeia o Chris"? Bateu saudade dessa série que fez muito sucesso no Brasil? O mais marcante era como o protagonista contava os fatos que aconteciam ao longo dos episódios. Na transmissão original, quem narrava era Chris Rock, afinal, a história é toda baseada na vida dele.

Com isso, ator ia contando as maluquices de sua adolescência para entreter o público. "Tonya (Imani Hakim) é tão difícil que a única razão de ela ser uma menina é porque meu pai queria um menino", brincava Chris.

"Glee"

"Então, aqui está o que você perdeu em Glee..." Em todo início dos episódios, a série começava com essa frase, já relembrando de fatos de capítulos anteriores. Mas, além disso, "Glee" sempre foi narrado por um dos personagens, dependendo do roteiro. Uma que brilhou nessa missão foi a Rachel (Lea Michele), a estrela da série.

O legal é que a narração é sempre muito pessoal e acompanha os assuntos da trama: bullying, sexualidade, adolescência e muita cantoria.

Por Luiza Vidal

Principais
notícias
sobre
o mesmo tema